Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chelsea elimina o Benfica e vai em busca de vingança contra o Barcelona

Redação Central, 4 abr (EFE).- O Chelsea sofreu uma pressão intensa do Benfica nos minutos finais, mas resistiu, venceu os portugueses por 2 a 1 em casa nesta quarta-feira e se classificou para as semifinais da Liga dos Campeões, em que enfrentará o Barcelona, em uma revanche da edição 2008/2009 do torneio.

Aquele confronto classificou o time catalão para a decisão, em que o Barça obteve seu terceiro título europeu. Na memória dos torcedores dos ‘Blues’, porém, estão apenas os supostos erros do árbitro norueguês Tom Henning, que teria deixado de dar pelo menos dois pênaltis a favor dos ingleses no jogo de volta, também no Stamford Bridge.

No fim das contas, o empatado em 1 a 1 em Londres favoreceu a equipe espanhola, já que o jogo de ida havia terminado com placar em branco.

Para poder tentar se vingar, o Chelsea teve dificuldades. Depois de ter vencido por 1 a 0 em Portugal, o time dos brasileiros David Luiz e Ramires, que foram titulares nesta quarta, saiu em vantagem, com gol de pênalti de Lampard. Entretanto, na etapa final, Javi García empatou para os lisboetas, e foi preciso um gol de Raul Meireles nos acréscimos para dar tranquilidade à torcida local.

As partidas entre Chelsea e Barcelona estão marcadas para os dias 18 e 24 deste mês. A primeira delas acontecerá no Stamford Bridge, e a segunda, no estádio Camp Nou.

No time da casa, Di Matteo optou por deixar no banco de reserva o volante Raul Meireles e o atacante Didier Drogba, que não se recuperaram completamente de lesão. Já o zagueiro David Luiz, que também não sabia se poderia jogar, começou como titular.

Já o treinador Jorge Jesus teve mais problemas, entre eles o zagueiro Luisão, que viajou para Londres, mas foi reprovado nos testes que realizou horas antes da partida devido a dores no joelho esquerdo.

Garay, Jardel e Miguel Vítor, outros defensores do time, também não estiveram à disposição, e o técnico do Benfica teve que improvisar Javi García no setor.

Apesar de ter a vantagem do empate, o Chelsea não ficou apenas com o regulamento debaixo do braço e se fez mais presente no campo de ataque que o adversário na etapa inicial.

No entanto, quem assustou primeiro foi o Benfica, com uma troca de passes que culminou com um chute forte de Bruno César, que parou em cima de Terry.

Com calma, os ‘Blues’ iam se impondo e incomodando cada vez mais. Até que aos 19 minutos David Luiz lançou Ashley Cole, que trombou com Javi García na área e caiu. O árbitro esloveno Damir Skomina marcou pênalti, que Lampard bateu forte no canto direito. Artur acertou o lado, mas não impediu que a bola entrasse.

O Benfica não se abateu, e esteve perto do empate na sequência, aos 25 e aos 29 minutos. Na primeira tentativa, Oscar Cardozo arriscou de fora e mandou perto do travessão; na segunda, Witsel recebeu de Capdevilla e ajeitou para o centroavante paraguaio, que tirou do goleiro, mas parou na interceptação de Mikel.

Os portugueses, que já tinham dificuldades no 11 contra 11, viram a situação piorar aos 39 minutos. Maxi Pereira cometeu falta dura em Mikel no meio de campo, recebeu o segundo cartão amarelo e deixou o time visitante com um homem a menos.

Ainda antes do intervalo, aos 44, Fernando Torres teve a chance de praticamente selar a classificação. O espanhol foi lançado por Kalou e tinha espaço para chutar, mas preferiu o passe para o meio e acabou facilitando o trabalho da defesa.

A etapa final começou agitada. Aos três minutos, Gaitán rola para Cardozo, que solta a bomba para linda defesa de Cech. Logo a seguir, Aimar pegou bem de fora e acertou a rede, mas pelo lado de fora.

A resposta dos ingleses foi rápida e quase fatal. Aos cinco, Kalou aproveitou vacilo de Javi García e cruzou rasteiro para Ramires, que falhou feio na hora de completar, furando sem goleiro. Pouco depois, aos oito, Torres deixou Emerson na saudade e buscou o canto direito, errando por centímetros.

O Benfica ia crescendo na partida, tentando ganhar terreno, mas abria espaço na defesa. No contra-ataque iniciado por Cech, aos 20 minutos, Mata acelerou pelo meio e rolou para a esquerda até Kalou. O atacante conseguiu dominar, mas concluiu em cima de Artur.

Como os ‘Blues’ não abriam mão de atacar, o jogo então ficou lá e cá. Aos 29 minutos, a bola foi de pé em pé no ataque inglês até chegar a Kalou, que girou e bateu perigosamente para fora. Em seguida, no contra-ataque, Nelson Oliveira invadiu a área e finalizou rasteiro, parando na defesa com os pés de Cech.

Teve início então um abafa do time de Lisboa. Aos 39 minutos, Djaló cabeceou, e Cech defendeu bonito, cedendo o escanteio. Na cobrança, Aimar levantou e Javi García, também de cabeça, igualou o placar.

No desespero, sem muita técnica, mas com muita garrar, os visitantes partiram para cima, e tiveram algumas chances. Na melhor delas, aos 43, Nelson Oliveira chutou com curva e mandou muito perto do ângulo esquerdo.

No último lance, aos 47, o Benfica teve falta para bater. Porém, a bola foi rechaçada e Raul Meireles puxou o contra-ataque. O volante português avançou pelo meio e poderia ter tocado para Ramires, mas seguiu sozinho e fez o segundo enchendo o pé no meio do gol.

Ficha técnica:.

Chelsea: Cech; Ivanovic, Terry (Cahill), David Luiz e Ashley Cole; Obi Mikel, Lampard, Ramires e Mata (Raul Meireles); Kalou e Torres (Drogba). Técnico: Roberto Di Matteo.

Benfica: Artur; Maxi Pereira, Javi García, Emerson e Capdevilla; Matic, Witsel, Gaitán (Djaló), Aimar e Bruno César (Rodrigo Moreno); Cardozo (Nelson Oliveira). Técnico: Jorge Jesus.

Arbitragem: Damir Skomina (Eslovênia), auxiliado pelos compatriotas Primoz Arhar e Marko Stancin.

Cartões amarelos: Ivanovic, Ramires e Mikel (Chelsea); Cardozo, Maxi Pereira, Ramires e Aimar (Benfica).

Cartão vermelho: Maxi Pereira (Benfica).

Gols: Lampard e Raul Meireles (Chelsea); Javi García (Benfica). EFE

dr/rd