Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cheios de desfalques, Flamengo e Santos só empatam

Por Gabriel Melloni

São Paulo – Na reedição da histórica partida do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, quando o Flamengo derrotou o Santos por 5 a 4 com exibições de gala de Ronaldinho Gaúcho e Neymar, os dois times nem de longe exibiram o mesmo futebol no confronto deste domingo, no Engenhão. Com o fraco desempenho de ambos os lados, o jogo ficou no empate por 1 a 1, pela 31.ª rodada.

Muito do baixo rendimento da partida pode ser creditado às baixas das equipes. Do lado do Santos, nomes como Léo, Elano e Borges eram desfalques, enquanto que o Flamengo sofria com as ausências de Ronaldinho Gaúcho, Thiago Neves e Bottinelli. Até o técnico Muricy Ramalho ficou de fora. Ele estava internado até o último sábado com uma hérnia de disco. Em recuperação, não viajou para o Rio de Janeiro e foi substituído por seu auxiliar Tata.

O resultado deste domingo acabou sendo pior para o Flamengo, que se vê cada vez mais distante da luta pelo título. O clube carioca fica na quarta colocação, com 52 pontos, mas vê sua diferença para o líder, que agora é o Vasco, aumentar para cinco pontos. Já o Santos segue na parte intermediária da tabela de classificação – na 10.ª colocação, com 42 pontos.

Na próxima rodada, a equipe paulista recebe o Atlético Paranaense, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, no próximo sábado, às 18 horas. Já os cariocas vão a Porto Alegre, onde enfrentarão o Grêmio, no estádio Olímpico, no dia seguinte, às 16 horas.

O JOGO – Com as duas equipes bastante desfalcadas, o primeiro tempo não foi dos melhores e ambos os times erravam muitos passes no meio de campo. A primeira boa chegada foi do Flamengo, aos 7 minutos, com Deivid, que aproveitou bom cruzamento de Léo Moura e cabeceou com perigo, mas para fora. Aos 21, o Santos respondeu e teve seu único bom momento ao longo de todo o primeiro tempo. Rentería recebeu a bola na meia lua, cortou para o pé direito e bateu colocado, tentando encobrir Felipe, que conseguiu tocar para escanteio.

O Flamengo dependia dos lançamentos de Renato para chegar ao ataque, enquanto que Neymar era o único pelo lado do Santos que tentava algum lance mais ousado. Desta forma, a partida era morna, com muita disputa no meio de campo e sem chances de gol para ambos os lados.

Com a falta de criatividade, os melhores momentos do Flamengo só poderiam sair em jogadas de bolas alçadas na área. Aos 40 minutos, Renato bateu escanteio pela esquerda na cabeça de Jael, que subiu sozinho, mas finalizou por cima do gol de Rafael. Aos 43, a equipe da casa chegou novamente em uma jogada aérea. Deivid levantou a bola da direita, a defesa do Santos afastou mal e a bola sobrou para Junior Cesar. O lateral bateu forte no canto direito do goleiro, que caiu para fazer uma boa defesa.

Aos 45 minutos, o lance mais perigoso do primeiro tempo. Renato deu um chutão para frente, tentando afastar o perigo, mas a bola caiu no pé do atacante Jael, que aproveitou a desatenção da zaga adversária para bater forte. Rafael novamente apareceu bem e defendeu.

O segundo tempo começou bem diferente do primeiro e logo aos 3 minutos o Santos abriu o placar. Alan Kardec fez bela jogada individual, invadiu a área, passou por Maldonado, por Léo Moura e foi derrubado por Alex Silva: pênalti. Na cobrança, Neymar bateu forte, no canto direito de Felipe, que pulou no esquerdo, e abriu o placar.

O atacante santista ganhou ânimo após o gol e passou a infernizar a zaga adversária com seus dribles. Em um desses lances, caiu após disputa com o zagueiro Welinton. O time paulista ficou reclamando de pênalti, que não foi marcado pelo árbitro.

Pressionado, Luxemburgo mexeu em sua equipe, colocando Diego Maurício, Vander e Thomas, nos lugares de Jael, Negueba e Willians, respectivamente. O Flamengo melhorou e logo aos 14 minutos teve uma boa oportunidade. Diego Maurício deu bom passe para Renato Abreu, que cruzou para Deivid. Antes que a bola chegasse no atacante, Bruno Rodrigo jogou para escanteio.

Foi o suficiente para incendiar o time carioca, que passou a pressionar. Aos 16 minutos, chegou ao gol de empate, mas foi anulado. Welinton desviou cobrança de escanteio de Renato para o meio da área. Alex Silva apareceu sozinho, em posição legal, e desviou para o gol, sem chance para Rafael. A arbitragem marcou impedimento incorretamente.

Nos dez minutos seguintes, o Flamengo chegou mais três vezes com perigo, duas com Diego Maurício e uma com Renato, mas finalizava mal. Até que, aos 33 minutos, Deivid deixou tudo igual. Ele recebeu bom cruzamento de Junior Cesar, se antecipou à zaga e desviou no canto esquerdo do goleiro. A bola ainda tocou na trave antes de entrar.

Com o empate, a partida ficou mais lenta e o Santos ainda teria a última chance antes do término. Aos 44 minutos, o zagueiro Edu Dracena aproveitou cobrança de falta para a área e, em posição duvidosa, cabeceou para fazer o gol que daria a vitória ao time paulista. A arbitragem anulou o lance e o placar ficou mesmo em 1 a 1.

Ficha técnica

Flamengo 1 x 1 Santos

Flamengo – Felipe; Léo Moura, Alex Silva, Welinton e Junior Cesar; Maldonado, Willians (Thomas), Renato e Negueba (Vander); Jael (Diego Maurício) e Deivid. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Santos – Rafael; Danilo, Edu Dracena, Bruno Rodrigo, Durval; Adriano, Henrique e Arouca (Bruno Aguiar); Neymar, Rentería e Alan Kardec (Ibson). Técnico: Tata (interino).

Gols – Neymar (pênalti), aos 3, e Deivid, aos 33 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos – Negueba, Willians e Maldonado (Flamengo).

Árbitro – Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC).

Renda – R$ 374.105,00.

Público – 13.853 pagantes.

Local – Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ).