Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cheio de desfalques, UFC retorna ao Brasil neste sábado

Sem Anderson Silva e Vitor Belfort, card principal tem duelo entre Wanderlei Silva e o americano Rich Franklin em Belo Horizonte, além das finais do TUF

O americano Rich Franklin derrotou Wanderlei em 2009. Desta vez, no entanto, o brasileiro disse que só sai do octógono “com a vitória ou morto”

O UFC 147 tinha tudo para ser o evento mais espetacular da história do MMA no país. A aguardada revanche entre Anderson Silva e Chael Sonnen deveria acontecer neste fim de semana -assim como o confronto entre Wanderlei Silva e Vitor Belfort, outra reedição de um combate memorável. Os planos incluíam ainda a quebra de um recorde de público, com a realização da noitada de lutas num estádio – Morumbi, Pacaembu e Engenhão foram cogitados. A realidade, porém, será muito diferente: o evento foi transferido para Belo Horizonte e perdeu três de seus quatro astros. A luta entre Anderson e Sonnen foi transferida para Las Vegas por motivos comerciais e burocráticos. E o card sofreu novas mudanças em função de lesões de última hora. O duelo principal será entre o brasileiro Wanderlei Silva e o americano Rich Franklin que lutaria no UFC 148, em 7 de julho, mas aceitou o desafio de pegar Wanderlei sob a condição de entrar no octógono com alguns quilos acima do limite da categoria dos médios. A decisão do reality show The Ultimate Fighter está mantida, mas Daniel Sarafian, um dos finalistas, também se lesionado e deu lugar a Serginho Moraes. Apesar de tantas mudanças, a noite de lutas promete ser boa para os fãs, pois contará com vários estreantes e dois veteranos tentando provar que ainda podem disputar o cinturão.

Leia também:

Leia também: UFC confirma que fará mais um evento no Brasil ainda neste ano

As dificuldades do UFC 147 começaram quando os organizadores não conseguiram confirmar a edição em São Paulo, por causa de problemas com a Prefeitura. A solução foi voltar ao Rio de Janeiro, que já recebeu duas noites de lutas. A realização da Rio +20, porém, estragou os planos – com o evento internacional, a cidade ficou sem quartos de hotel em quantidade suficiente para receber os torcedores. Ficou definido que o evento aconteceria em Belo Horizonte, no ginásio do Mineirinho. O esperado reencontro de Wanderlei Silva e Vitor Belfort – que venceu o rival em 1998, no primeiro UFC realizado no país, em São Paulo – passou a ser a luta principal do card. Faltando menos de um mês para a luta, porém, Belfort machucou a mão esquerda em um treino. Para salvar o card, mantendo pelo menos Wanderlei como atração, Belfort foi substituído por outro veterano, Rich Franklin. Ex-professor de matemática nos Estados Unidos, Franklin foi campeão dos médios entre 2005 e 2006, mas perdeu seu cinturão para Anderson Silva. O americano derrotou Wanderlei em 2009. Desta vez, no entanto, o brasileiro disse que só sai do octógono “com a vitória ou morto”. Depois de vencer o vietnamita Cung Le, no UFC 139, o brasileiro espera convencer os organizadores do torneio que ainda tem nível para disputar o cinturão dos médios. Leia também: ‘Wanderlei gosta de escolher adversário’, provoca Vitor Belfort Coadjuvantes – O UFC 147 também contará com as finais do reality show The Ultimate Fighter, que realizou no Brasil sua primeira temporada sem lutadores americanos. O prêmio para os vencedores é um contrato com a maior franquia de MMA do planeta. Os cearenses Godofredo Pepey e Rony Jason disputam o título entre os penas. Os dois já se enfrentaram em um torneio de jiu-jitsu em Fortaleza, e Pepey venceu. Entre os médios, o mineiro Cezar Mutante, pupilo de Vitor Belfort, enfrentará Serginho Moraes, que ficou com a vaga do lesionado Daniel Sarafian. Além das finais, outros dez atletas que participaram do TUF lutarão no UFC 147. Entre os lutadores que já têm contratos com o UFC, o destaque fica para o brasileiro Fabrício Werdum e o americano Mike Russow, que fazem uma das lutas mais aguardadas da noite, na categoria peso-pesado. O evento está marcado para começar às 19h45 (horário de Brasília). A TV Globo – que irritou os fãs do UFC no Brasil ao exibir a última luta do campeão Júnior Cigano em videoteipe, apesar de ter anunciado a transmissão ao vivo – promete mostrar o evento na televisão aberta. O canal pago Combate mostrará o card inteiro ao vivo para seus assinantes.