Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Chamado para ‘prosa curta e grossa’, Dagol procura Juvenal há um ano

Por Da Redação 12 out 2011, 20h21

Juvenal Juvêncio resolveu, enfim, se manifestar sobre a situação de Dagoberto, que a partir da próxima quarta-feira estará livre para assinar um pré-contrato com qualquer equipe e deixar o São Paulo sem gerar lucro nenhum em abril. Diante das dificuldades na negociação, o presidente quer ouvir do atacante o que ele quer.

‘Vai depender da conversa comigo, não sei sou um sedutor capaz. Vai depender de uma prosa curta e grossa’, afirmou o mandatário, já indicando uma interferência nas conversas que têm ocorrido atualmente somente entre o diretor de futebol Adalberto Baptista e Marcos Malaquias, empresário do jogador.

Dagoberto se coloca à disposição para falar com o Juvenal. E até reclama por ser ignorado pelo presidente desde 2010. ‘Fiquei o ano passado inteiro esperando essa conversa. Até tentei ligar para ele. Esperava que ele atendesse’, falou o camisa 25, dizendo que teria renovado se fosse procurado há um ano. ‘Mas se ele falou que haverá conversa agora, então é bom.’

Juvenal promete não aliviar para o artilheiro do São Paulo na temporada, com 22 gols, e líder das assistências da equipe em 2011. ‘Nunca conversei com Dagoberto. Ele é fácil? Não é. Tem um empresário complicado que quer ganhar mais do que merece? Tem. Sou uma pessoa fácil? Não’, declarou o presidente.

O dirigente está irritado pelo fato de o atleta exigir um aumento salarial que o São Paulo não está disposto a dar. O que amplia sua reprovação à postura dele é o fato de ele e seu agente não responderem à proposta de renovação feita por Adalberto Baptista há algumas semanas e deixar claro que só vai aceitar caso não consiga uma tentadora oferta de um clube europeu.

‘Ontem [terça-feira] ele passou e falou não sei para que pessoa: avisa o presidente que quero ficar. Não é definitivo, tenho dúvidas’, confessou Juvenal, indisposto a aumentar demais o valor pago mensalmente ao atleta. ‘O aspecto financeiro pesa muito e tem que pesar, é importante. Não temos que pensar com emoção, mas com razão.’

E é exatamente com razão que Dagoberto pretende definir seu futuro antes do final do ano. ‘Posso renovar amanhã ou não. Se eu não ficar, saio na boa e o São Paulo continua gigante mesmo sem o Dagoberto. A vida segue’, falou o jogador. ‘Todos estão vendo o que está acontecendo e tenho uma família que depende de mim. Minha prioridade é a família, sempre em primeiro lugar’, pontuou.

Continua após a publicidade

Publicidade