Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Chama olímpica dos Jogos de Londres é acessa em Olímpia

Por Da Redação 10 Maio 2012, 09h50

Atenas, 10 mai (EFE).- Nem mesmo a crise e toda incerteza política da Grécia foram suficientes para impedir que Apolo acendesse nesta quinta-feira o fogo sagrado dos Jogos Olímpicos de Londres na antiga Olímpia, local onde os primeiros jogos foram disputados.

No papel de Grande Sacerdotisa de Olímpia, a atriz Ino Menegaki, escoltada por outras dez mulheres que representavam as Virgens Vestais, entregou a chama – acesa através de um espelho parabólico – ao campeão olímpico de natação Spyros Yanniotis. A partir deste ato, a tocha olímpica inicia sua trajetória rumo à capital britânica.

A cerimônia de acendimento da tocha dos Jogos de Londres, que serão iniciados no dia 27 de junho, foi acompanhada pelo belga Jacques Rogge, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), e por Sebastian Coe, presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Londres, entre outras personalidades.

‘Com esta cerimônia começamos a contagem regressiva de um grande sonho’, declarou Rogge diante do presidente do Comitê Olímpico Grego, Spyros Kapralos, e do presidente do percurso da tocha olímpica, Spyros Zaniás.

‘A tocha olímpica é um símbolo de amizade, paz e convivência’, ressaltou Kapralos.

‘Quando pessoas de diferentes nacionalidades, raças e religiões se comprometem a levar a tocha olímpica lembramos que os motivos que unem os povos são muito maiores do que os divide’, acrescentou. Sebastian Coe também ressaltou que em tempos de crise é ‘muito importante lembrar o universalismo destes valores’.

Continua após a publicidade

Após a tradicional dança das ninfas e da cerimônia de acendimento, a grande sacerdotisa entregou a tocha a seu primeiro portador, o campeão olímpico de natação Spyros Yanniotis, que depois passou ao jovem boxeador Alexandro Lukos, um britânico de origem grega de 19 anos.

Passando por cinco lugares arqueológicos, como Acrópole, o fogo olímpico viajará uma semana pela Grécia até chegar ao antigo Estádio Olímpico de Atenas, sede dos primeiros Jogos modernos em 1896, para ser entregue à delegação britânica.

A tocha, que passará pelas mãos de 490 pessoas, percorrerá 2,9 mil quilômetros da geografia helena, divididos em 26 províncias, 30 municípios e 40 cidades.

A partir do dia 18 de maio, em solo britânico, a tocha percorrerá mais 12.875 quilômetros em 70 dias. Até sua chegada à cerimônia de abertura, no dia 27 julho, a tocha passará pelas mãos de mais 8 mil pessoas.

Ao contrário do ocorrido nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, e de Pequim, em 2008, quando o fogo sagrado percorreu os cinco continentes, o percurso da tocha olímpica dos Jogos de Londres passará somente pela Grécia e pelas ilhas britânicas.

Apesar da chama olímpica já simbolizar o roubo do fogo dos deuses por parte de Prometeo na Grécia clássica, a cerimônia que envolve a tocha possui origens mais atuais. No IX Jogos da era moderna, disputado em Amsterdam (1928), a chama olímpica acabou sendo reintroduzida graças à proposta de um empregado de uma companhia elétrica local.

No entanto, a cerimônia em Olímpia e seu percurso até a sede dos Jogos foi uma iniciativa dos propagandistas da Alemanha nazista durante os Jogos Olímpicos de Berlim, em 1936. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade