Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cena demais, futebol de menos: seleção treina em ritmo de… treino

Dia na Granja Comary foi de rachão, muitas visitas e sessão de fotos e autógrafos. Parecia pré-temporada

“Quem disse que treino é só dentro de campo, correndo atrás de uma bola?” A frase, do zagueiro David Luiz, foi uma resposta aos inúmeros questionamentos do ritmo de treinos da seleção brasileira. Embora o discurso seja de que a rotina de treinos está plenamente de acordo com o planejado, os trabalhos parecem transcorrer em câmera lenta. Na sessão de treinos desta sexta, o goleiro Julio Cesar, o titular de Felipão, nem apareceu no gramado da Granja Comary. Ele ficou pedalando na academia que tem visão panorâmica para os campos. O camisa 12 havia treinado forte na quinta, debaixo de chuva intensa – segundo a comissão técnica, não há nada de errado com o goleiro. Os atacantes trabalharam cruzamentos e finalizações com Felipão, e os defensores colocaram em prática jogadas aéreas e chutões para frente.

Leia também:

Por que ainda crer na seleção (e do que desconfiar nela…)

Felipão apoia a equipe e descarta fazer mudanças radicais

Na batalha de Fortaleza, mexicanos frustram o Brasil: 0 a 0

Felipão ficou ‘satisfeito’ – irritação, apenas com a imprensa

Ao lado dos jornalistas que encaravam o frio e a garoa contínua, estavam torcedores animados e David Luiz e Thiago Silva chegaram a deixar o treinamento para atender os pedidos de fotos e autógrafos. Para completar o time do rachão, Neymar teve de pedir, em tom de brincadeira, para que a dupla de zaga titular participasse do treinamento. “Por favor, vocês podem vir?”

O treino recebeu algumas visitas, como o ex-zagueiro Roque Júnior, pentacampeão em 2002, que acompanhou o rachão no banco de reservas, ao lado de Felipão e Murtosa. Depois, apareceram à beira do gramado Bernard Razjman e Marcus Vinicius Freire, ex-jogadores da geração de prata do vôlei masculino – o primeiro representante brasileiro no Comitê Olímpico Internacional e Freire, diretor-executivo do COB – estiveram na Granja a convite do coordenador técnico da seleção, Carlos Alberto Parreira.

E teve até visita internacional, o ex-atacante norueguês John Carew, que foi companheiro de Fred nos tempos de futebol francês. Carew passou o dia em Teresópolis ao lado dos jornalistas: assistiu à coletiva de imprensa, viu pela TV a vitória da Costa Rica sobre a Itália e, no final da sessão de treinamento, se encontrou com o ex-colega de Lyon. Além de perguntarem da família, o norueguês desejou sorte a Fred, falando que ele “ainda marcará muitos gols durante a Copa”.