Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CBF retira o nome de José Maria Marin de sua sede

Medida foi autorizada por Marco Polo Del Nero – apesar de o presidente da CBF ter defendido publicamente o seu antecessor

A CBF agiu rápido para tentar disassociar seu nome dos escândalos de corrupção no futebol e retirou da fachada da sua sede o nome do seu ex-presidente, José Maria Marin, preso nesta quarta-feira, em Zurique, na Suíça. O dirigente e ex-governador de São Paulo dava o nome ao prédio inaugurado por ele mesmo, no ano passado, na Barra da Tijuca. Agora o edifício ostenta apenas o logo da CBF.

Leia também:

Pressionado, Blatter cancela participação em evento da Fifa

Justiça dos EUA aponta R$ 19 milhões de propina a Marin

Marin e mais 10 dirigentes são banidos pela Fifa

Foi o próprio presidente da entidade, Marco Polo del Nero, que segue na Suíça, quem autorizou a medida, após reunião de seus colegas no Brasil. Na noite de quarta, a CBF anunciou o afastamento de Marin do cargo de vice-presidente. As duas medidas indicam a preocupação dos dirigentes com os desdobramentos das investigações na Fifa. De acordo com a CBF, o afastamento de Marin será mantido “até a definitiva conclusão do processo”.

Del Nero, no entanto, defendeu o seu antecessor e aliado político e disse que as denúncias feitas pelo governo americano se referem a contratos firmados na gestão de Ricardo Teixeira. Marin foi preso em Zurique por autoridades dos Estados Unidos, que acusam o ex-presidente da CBF de receber propinas milionárias em negociações dos contratos comerciais da CBF. Além de corrupção, Marin é acusado de “conspiração” e pode ser extraditado aos Estados Unidos.

A sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) A sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)

A sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) (/)

(com Estadão Conteúdo)