Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

CBF: entrevista derruba chefe da Comissão de Arbitragem

Aristeu Tavares acusou juízes de manipular resultados - todos em atividade

Por Da Redação 26 fev 2013, 18h34

A CBF confirmou nesta terça-feira a demissão de Aristeu Tavares do cargo de presidente da Comissão Nacional de Arbitragem. O posto será ocupado interinamente por Edson Rezende, ex-corregedor do órgão, até que o presidente José Maria Marin decida por um substituto. Ex-bandeirinha com passagem pelo quadro da Fifa e coronel da Polícia Militar do Rio, Tavares ficou sem ambiente para prosseguir na CBF depois de uma entrevista publicada pelo jornal goiano O Popular, na qual afirmou que árbitros acusados de manipular resultados no futebol brasileiro continuavam em atividade.

Leia também:

Felipão muda de ideia e diz que vai mexer ‘bastante’ na seleção

Neymar e 9ine, négocios de R$ 30 milhões

A entrevista causou revolta dentro da CBF, e não adiantou o dirigente negar as declarações. Tavares assumiu o cargo em agosto de 2012 no lugar de Sérgio Corrêa da Silva, demitido por causa da má qualidade das arbitragens no Campeonato Brasileiro.

Leia também:

Leia também: Envolvidos na Máfia do Apito são condenados

Continua após a publicidade

Acervo Digital: Relembre os maiores escândalos do mundo da bola

O chefe provisório da arbitragem nacional, Edson Rezende, já ocupou o cargo de 2005 a 2007. Ele assumiu logo após o escândalo da Máfia do Apito, que provocou o cancelamento de vários jogos do Campeonato Brasileiro de 2005 e tinha em Edilson Pereira de Carvalho seu principal personagem. Rezende se demitiu alegando problemas de saúde e particulares e deu lugar a Sérgio Corrêa, titular no cargo por cinco anos.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade