Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

CBF cria Conselho Técnico com 5 presidentes de clubes

Dirigentes de Corinthians, Atlético-MG, Atlético-PR, Fluminense e Grêmio foram eleitos em reunião com Marco Polo Del Nero na sede da entidade

Por Da Redação 15 jul 2015, 09h51

Diante de seguidos fiascos da seleção brasileira e denúncias de corrupção na entidade, a CBF vem começando a discutir alternativas para o futebol brasileiro. Nesta terça-feira, o presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, e os representantes de 19 clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro – com exceção do Vasco, que não enviou nenhum representante – se encontraram na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Na reunião, cinco dirigentes de clubes foram eleitos presidentes do Conselho Técnico da CBF, grupo que, segundo a entidade, buscará modernizar o futebol brasileiro. Os nomes escolhidos foram: Roberto de Andrade (Corinthians), Daniel Nepomuceno (Atlético-MG), Rodrigo Gama (Atlético-PR), Peter Siemsen (Fluminense) e Romildo Bolzan Junior (Grêmio). Os critérios da escolha não foram divulgados.

Leia também:

Senado instala CPI do Futebol. Romário será o presidente

CBF convoca Mano, Falcão, Luxemburgo, Felipão… para ajudar Dunga

Del Nero quer revisão nas convocações de Dunga e time mais experiente

Os cinco presidentes de clube deixaram a reunião satisfeitos. “O presidente da CBF nos deu total autonomia para agir e escutar os clubes, e é o que pretendemos fazer. Ouvir a todos para a gente tornar o futebol um produto muito melhor do que ele já é”, afirmou Roberto de Andrade. “Temos agora a oportunidade histórica de tentar resolver internamente, com o suporte da CBF, todos os problemas que debatíamos em âmbito externo. Afirmo que essa é uma oportunidade histórica que estamos tendo”, ressaltou Romildo Bolzan Junior.

O presidente do Atlético-MG, Daniel Nepomuceno, explicou os objetivos do grupo. “Vamos trabalhar temas como calendário, janela de transferências e tantos outros problemas que passaremos agora a enfrentar com o apoio da CBF, com toda a autonomia que nos foi dada pelo presidente Marco Polo Del Nero”. Além dos presidentes, ainda serão eleitos dois dirigentes de clubes da Série B, um da Série D e outro da Série D do Brasileirão. “Essa participação dos clubes na gestão das competições aqui na CBF é uma coisa fundamental para que a gente possa avançar e ter uma melhoria grande no futebol brasileiro”, exaltou Modesto Roma Júnior, presidente do Santos.

(com Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Publicidade