Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cauteloso, Jorginho não garante Danilo entre os titulares da Lusa

Autor do gol da Portuguesa no duelo da última sexta-feira, o atacante Danilo arrancou elogios do torcedor lusitano com sua boa apresentação entre os titulares, mas não empolgou o técnico Jorginho. Cauteloso com relação ao potencial do avançado, o treinador preferiu não traçar metas ambiciosas para o seu comandado na equipe e afirmou que trabalhará o jogador para que ele se firme no time principal e conquiste sua preferência.

Jorginho escalou Danilo no ataque após a contusão de Rafael Oliveira, que vinha sendo o principal ofensivo do time paulista. O atacante estava encostado no elenco e chegou a ligar para o treinador, pedindo uma oportunidade entre os onze iniciais da Lusa. Apesar de possuir uma série de opções para o setor ofensivo, o comandante rubro-verde deu uma chance para o antes renegado atleta e foi agraciado com o tento que garantiu os três pontos diante do XV de Piracicaba.

‘Ele aproveitou a chance que ele mesmo me pediu. Ele me ligou essa semana pedindo uma oportunidade e eu falei para que ela estava dada. Ele foi para os treinamentos, mostrou mais qualidade que os demais atacantes do elenco e ganhou uma chance no jogo. Conseguiu, em um jogo, fazer mais que os outros não conseguiram em sete partidas. Se ele vai seguir como titular não sei, vai depender única e exclusivamente dele. Se ele me mostrar que está melhor que os outros, vai continuar jogando’, avaliou Jorginho.

Longe de ser unanimidade para o técnico da Portuguesa, Danilo terá que conviver com seu retrospecto ruim no clube antes de assumir a vaga deixada no ataque lusitano. No entanto, as boas apresentações que o atacante Ronaldo – revelado na Lusa e contratado pelo Guarani nesta temporada – vem obtendo no Paulistão poderão motivar o treinador a prestar mais atenção naqueles atletas que não estão sendo aproveitados durante a competição estadual.

‘Ele não é o salvador da pátria. Até segunda feira passada, ele estava encostado no clube, tinha sido emprestado e também não tinha feito nada onde jogou. É o caso do Ronaldo, atacante ex-Portuguesa que está no Guarani. Aqui ele teve chance com o Vadão, com o Sérgio Guedes e comigo e não demonstrou nada. Lá, no Guarani, está jogando bem. Isso é muito comum no futebol. Às vezes um jogador não consegue se adaptar em um determinado clube, vai para outro e arrebenta’, finalizou o rígido comandante lusitano.