Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cauteloso, Falcioni pede para Boca não se apoiar em retrospecto

A força do Boca Juniors no continente sul-americano é conhecida por todos os times brasileiros que cruzaram o seu caminho na Copa Libertadores. O retrospecto favorável que a equipe mantém assusta os torcedores antes de um confronto com o time argentino, mas não empolga o precavido técnico Julio Cesar Falcioni.

Perto da histórica final contra o Corinthians, o treinador pediu mais uma vez para que os seus jogadores não entrem em campo pensando apenas no histórico mantido por sua equipe nas outras edições do torneio. O comandante lembrou das qualidades do seu próximo adversário e reforçou que todo cuidado será pouco diante do esquema de jogo do técnico Tite.

‘O Boca Juniors tem história na Libertadores, mas esta final será jogada com base no presente, e não no passado. Temos uma boa equipe, mas o nosso rival também tem um grande time, com um estilo compacto e rápido de jogo. Eles são merecedores de estar na final e nós tentaremos fazer tudo certo para sermos campeões’, analisou Falcioni.

Mesmo com a ansiedade vivida pelos torcedores argentinos, o treinador do Boca procurou ressaltar que apenas o fato do time ter chegado à final já é motivo para se comemorar. ‘É especial estar na final. Nós estamos entre os melhores da América do Sul. Todas as partidas exigiram muito da gente e sempre existe muito interesse antes e depois delas. Para o Boca é um orgulho decidir este torneio.’

O primeiro jogo entre Corinthians e Boca Juniors será realizado nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), em La Bombonera. Nesta segunda, a equipe brasileira enfrentou uma calorosa recepção do seu torcedor e embarcou para Buenos Aires. O time ainda fará um treinamento na próxima terça-feira à noite antes de medir forças com os argentinos na final.