Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cautelosa com hexa, Marta lamenta ausência de Neymar no Bola de Ouro

Pentacampeã consecutiva do Bola de Ouro da Fifa, Marta esperava dividir o palco com outro brasileiro em 9 de janeiro, quando buscará sua sexta conquista. A atleta lamenta a ausência de Neymar e entende que o santista fez por merecer para estar entre os finalistas do prêmio.

‘Ele merecia estar pelo menos entre os três. Ganhou Libertadores esse ano, jogou na Seleção, então achei que estaria lá comigo. Mas ele é jovem e com certeza vai receber esse prêmio ainda’, pondera.

O astro do Santos chegou a figurar na lista dos 23 melhores, mas, na segunda-feira, a Fifa e a revista France Football anunciaram que apenas Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, Messi (bicampeão) e Xavi, ambos do Barcelona, concorrem a melhor jogador do mundo no ano de 2011. Mesmo assim, Neymar ainda pode ser premiado em Zurique. Ele disputa com Rooney e Messi pelo gol mais bonito da temporada.

Já Marta, que não divide o palco do prêmio com um brasileiro desde 2007, quando Kaká venceu a edição, não mostra grande otimismo pela sexta conquista. Para a atleta, o fracasso da Seleção no Mundial da Alemanha, em julho, vai pesar na decisão dos jurados. Apesar de uma boa primeira fase, o Brasil caiu precocemente, nas quartas de final para os Estados Unidos.

‘Eu não sei qual o critério que usam, porque tiveram anos que eu nem joguei pela Seleção e fui eleita a melhor jogadora. Mas 2011 foi ano de Copa do Mundo e a gente sabe o quanto isso é importante’, discursa Marta, que concorre ao prêmio com a a meia japonesa Homare Sawa, campeã e artilheira do Mundial, e a atacante americana Abby Wambach, vice-campeã do mesmo torneio.

‘Elas fizeram uma grande competição então há possibilidade do hexa não vir. Mas eu já estou feliz por estar entra as três, ir à festa que é maravilhosa, prestigiar os outros atletas… É o oitavo ano que sou indicada e isso já me deixa muito satisfeita’, garante a brasileira, que antes da premiação ainda tem um compromisso com a Seleção: a disputa do Torneio Internacional Cidade de São Paulo, em dezembro, no Pacaembu.