Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Castigo’ por cartão amarelo no futebol deve ser testado em 2017

Reunião da International Board discutirá expulsão temporária, além do papel dos capitães, arbitragem de vídeo e a possibilidade de uma quarta substituição

A International Football Association Board, a entidade que define as regras do futebol, anunciou nesta quarta-feira que discutirá possíveis mudanças nas normas do jogo em sua reunião anual, marcada para 3 de março, em Londres, na Inglaterra. Na pauta, está a expulsão temporária ao atleta que receber cartão amarelo, uma forma de “castigo” por uma infração grave, mas não passível de cartão vermelho. Também será discutido o papel do capitão dos times e a regulamentação do árbitro de vídeo, que tanto causou polêmica no último Mundial de Clubes da Fifa. 

Segundo a International Board, a proposta da suspensão temporária do jogador poderá entrar em vigor depois de dois ou três anos de testes realizados pela Uefa em divisões inferiores do futebol europeu, que devem começar já em 2017.  A suspensão seria decretada quando uma indisciplina não fosse suficientemente dura para merecer um cartão vermelho, nem suficientemente leve para merecer um cartão amarelo comum ou uma mera advertência verbal.

Existe a possibilidade de os cartões amarelos serem simplesmente substituídos pela suspensão temporária, algo que Michel Platini defendia quando era presidente da Uefa. O ex-jogador francês gostaria que o atleta advertido ficasse de 10 a 15 minutos fora de campo, pois, em sua avaliação, faz mais sentido punir um jogador na mesma partida do que o impedi-lo de jogar no futuro, contra uma terceira equipe que nada tem a ver com a ocorrência.

Jogador do Real Madrid, Fabio Coentrão, recebe cartão amarelo durante a partida contra o time do Basel pela Liga dos Campeões “Rodinhas” de reclamações podem estar com os dias contados no futebol

“Rodinhas” de reclamações podem estar com os dias contados no futebol (Ruben Sprich/Reuters)

Capitães – Outra forma de incrementar a disciplina em campo é a de exigir que apenas capitães possam falar com os árbitros, evitando as conhecidas “rodinhas” de reclamação com vários atletas das duas equipes. Segundo a agenda da International Board, a reunião de março dará “especial atenção ao papel dos capitães e como suas responsabilidades podem ser incrementadas para conseguir maior disciplina e melhor comunicação com os árbitros”.

O encontro ainda vai examinar o uso do vídeo no futebol, algo que já vem sendo testado em 20 diferentes torneios pelo mundo. No Mundial de Clubes de 2016, o sistema cometeu falhas e causou bastante controvérsia. Outro tema na agenda será a flexibilização das normas em determinados campeonatos, como o número de substituições. A proposta é de que se introduza uma quarta substituição em  jogos com prorrogações.

(com Estadão Conteúdo)