Clique e assine a partir de 8,90/mês

Caso Neymar: Procuradoria pede o indiciamento do Barça

Se for condenado, o clube poderá ser multado em até 36,4 milhões de euros

Por Da Redação - 19 fev 2014, 11h36

A Procuradoria da Audiência Nacional, principal instância penal da Justiça da Espanha, pediu o indiciamento do Barcelona por crime fiscal na contratação do atacante brasileiro Neymar. A informação foi revelada por uma fonte judicial à agência de notícias France-Presse. “A procuradoria pede o indiciamento do Barça, como pessoa jurídica, por um delito contra a Fazenda pública, cometido nos anos de 2011 e 2013”, disse a fonte, que não teve seu nome revelado. Neymar só foi para o clube catalão em 2013, mas 2011 foi o ano em que o Barcelona pagou um adiantamento para conseguir prioridade numa futura transação com o jogador. Estima-se que a multa a ser paga pelo Barcelona em uma possível condenação possa chegar a 36,4 milhões de euros. A acusação diz que o clube planejou uma detalhada “engenharia financeira” para viabilizar a contratação driblando o fisco espanhol.

Leia também:

A volta de Neymar. Para espantar o azar no ano da Copa

Neymar quer duelar com Messi na final da Copa do Mundo

Neymar, em momento turbulento, comemora seus 22 anos

Fifa se nega a dar dados de Neymar à Justiça espanhola

Pai de Neymar só vai mostrar contratos se a Justiça exigir

A procuradoria calcula a fraude tributária em 9,1 milhões de euros. Agora, o Barça terá de nomear seu defensor na Justiça e oferecer documentos relativos ao caso. A transferência do astro brasileiro de 22 anos do Santos provocou um terremoto no futebol da Espanha depois que um sócio do Barça apresentou uma denúncia contra o presidente do clube, Sandro Rosell, por “apropriação indébita”. A denúncia foi aceita por um juiz da Audiência Nacional e provocou a renúncia de Rosell, em 23 de janeiro. Mesmo com a saída do cartola do comando do clube – dizendo que esperava reduzir as pressões sobre o clube ao abandonar o cargo -, a Justiça da Espanha manteve a tramitação do caso. Neymar não corre o risco de ser punido, mas o clube poderá ter de pagar multas altíssimas ao fisco caso seja condenado – segundo o jornal Marca, de Madri, a compensação pode ser equivalente ao dobro ou até ao quádruplo do valor sonegado.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade