Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Caso Neymar: Barça nega acordo com Receita espanhola

Segundo o jornal 'El Pais', o clube se ofereceu para pagar multa ao fisco da Espanha para evitar investigação do Ministério Público

Por Da Redação 11 mar 2014, 15h21

O Barcelona divulgou um comunicado nesta terça-feira negando que tenha proposto um acordo à Receita Federal da Espanha, conforme noticiado na segunda-feira pelo jornal El Pais, para pagar o que deve ao fisco e evitar que o clube seja investigado pelo Ministério Público espanhol, no caso da contratação de Neymar. O clube também negou que a transação que derrubou o presidente Sandro Rosell tenha irregularidades.

Leia também:

Caso Neymar: Barça paga R$ 43 milhões a fisco espanhol

Caso Neymar: juiz aceita denúncia e Barcelona é indiciado

Neymar critica cúpula do Santos: ‘Hoje eu entendo o Ganso’

Segundo a reportagem do El Pais, além do pagamento ao fisco, o Barcelona tinha interesse em assumir um crime contra a Fazenda Pública (equivalente ao Ministério da Fazenda no Brasil), para encerrar as investigações contra o clube na justiça. O acordo que seria proposto, porém, não livraria Sandro Rosell da Justiça – ele continuaria sendo investigado por má administração e apropriação indébita. Em fevereiro, o Barcelona pagou 13,5 milhões de euros (cerca de 43 milhões de reais) ao fisco espanhol em uma espécie de correção de valores pela contratação de Neymar, mas continuou alegando que não havia fraude nos valores declarados na compra.

Leia também:

Caso Neymar: Procuradoria pede o indiciamento do Barça

Continua após a publicidade

A volta de Neymar. Para espantar o azar no ano da Copa

Vem aí outro Santos x Barcelona – desta vez nos tribunais

O caso – Oficialmente, o Barcelona anunciou que pagou 57 milhões de euros (185,3 milhões de reais) pelo brasileiro, mas sócios do clube contestaram o valor, acusando o ex-presidente Rosell de ter desviado dinheiro a uma empresa do pai de Neymar. Segundo a acusação, os valores da transferência chegariam aos 86,2 milhões de euros (280,3 milhões de reais). Em fevereiro, um juiz espanhol aceitou a denúncia e abriu investigação contra o Barcelona.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade