Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Casillas chora em despedida do Real Madrid

Durante o encontro, goleiro não aceitou perguntas e apenas leu comunicado no qual garantiu que seguirá cantando "Hala, Madrid!"

O goleiro Iker Casillas encerrou neste domingo sua passagem de 25 anos pelo Real Madrid. Ídolo do clube espanhol, ele convocou uma coletiva de imprensa para despedir-se da torcida por meio de uma carta que leu aos jornalistas. O goleiro assinou contrato com o Porto, de Portugal. “Depois de 25 anos defendendo as cores do melhor time do mundo, o dia difícil chegou, quando eu digo adeus à instituição que tem me dado muito”, afirmou o jogador, sem segurar as lágrimas.

“Quero dizer que a decisão de ir para o Porto foi tomada por dois motivos fundamentais: o primeiro é a expectativa que me transmitiram de lá, e o segundo, pelas demonstrações de carinho que fui recebendo conforme as pessoas descobriam que meu destino seria Portugal. Farei o possível para não decepcionar, e lutarei ao máximo para conseguir o maior número de títulos para minha nova equipe. Muito obrigado, Porto, por confiar em mim”, leu Casillas.

Depois de se dirigir ao futuro clube, o goleiro fez questão de “conversar” diretamente com a torcida madrilena e garantiu que o Real Madrid não só o formou como esportista, mas também como pessoa. “Agora sim, quero me dirigir aos torcedores. Parece que foi ontem quando, ao nove anos, vesti pela primeira vez a camisa do Real Madrid e atingi meu sonho. Durante esse tempo, sofremos, rimos, choramos, e aproveitamos juntos. Me senti acompanhado e muito querido nos bons e maus momentos”, disse.

Já chorando, Casillas continuou: “Nessas últimas duas linhas, eu dedico tudo a vocês, torcedores, que não conhecem fronteiras. Obrigado pelo apoio incondicional. Obrigado por me permitir ser o capitão por cinco anos”. Para fechar, lembrou de uma frase que costumeiramente repete. “Mais do que lembrar de mim por ser um bom ou mau goleiro, só espero que as pessoas lembrem de mim por ser uma boa pessoa. Nunca poderei esquecer vocês, e onde quer que esteja, seguirei gritando Hala, Madrid!”, complementou.

(Com Gazeta Press e Estadão Conteúdo)