Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Carille critica ‘inexperiência’ do Corinthians; Pedrinho e Vital rebatem

Apesar de seu time ter média de idade superior à do Independiente del Valle, técnico acredita que imaturidade prejudicou o clube paulista na semifinal

O Corinthians ganhou um novo problema além da derrota em casa, por 2 a 0, para o Independiente del Valle, do Equador, que deixou o time brasileiro em situação delicada na semifinal da Copa Sul-Americana. Uma declaração do técnico Fábio Carille após a partida desta quarta-feira 18, em Itaquera, pegou mal entre jogadores do elenco. O treinador criticou uma suposta falta de experiência de sua equipe e criticou pontualmente as atuações de Pedrinho e Mateus Vital, ambos de 21 anos.

“Foi um jogo de imposição física, de ‘nego malandro’, a gente com muito menino em campo, que tem que entrar em campo para aprender. Dificuldade do Pedrinho, Mateus Vital, marcação forte, jogo de Sul-Americana. Foi o time que deu resposta após a Copa América, mas hoje as coisas não funcionaram”, afirmou Carille, em entrevista coletiva.

“Aprender é só jogando. As dificuldades acontecem botando em jogo. Hoje foi jogo de imposição física, o jogador que ele escolheu para marcar Pedrinho é atacante de beirada pelo lado direito e marcou ele muito bem, grande surpresa. Não temos muitas opções ofensivas e velocidades, todos garotos, Pedrinho, Vital, Janderson, todos jovens”, reiterou o treinador.

Apesar de ter entrado em campo com diversos atletas experientes, até com passagem por seleção, como Cássio, Fagner e Vagner Love, o técnico acredita que faltou “casca” ao Corinthians. “Todos nós perdemos, mas nesses momentos um time mais cascudo é sempre importante. Mas tem de botar para jogar. Sobre elenco, agradeci a diretoria que na dificuldade trouxe os reforços. Estou muito satisfeito com o grupo”, completou.

A reclamação de Carille não se traduz nos números. Na comparação dos times que iniciaram o confronto, o Corinthians teve média de 29,12 anos de idade, contra 26,09 do rival equatoriano, que, segundo o presidente do Corinthians, Andrés Sánchez, deu “uma aula de futebol” na Arena Corinthians.

Atletas rebatem

Destaque do time na temporada, o jovem Pedrinho discordou da análise de Fábio Carille e preferiu apontar os problemas coletivos do time. “Já joguei, é a segunda ou terceira competição, estou há bastante tempo no profissional. O grupo todo sentiu esse jogo, não fizemos um dos melhores jogos, creio que foi um dos piores jogos que nós fizemos, mas temos tudo para evoluir e fazer um grande jogo lá”, afirmou Pedrinho, que já conquistou o Brasileirão de 2017 e dois Campeonatos Paulistas pelo time profissional.

O meia Mateus Vital demonstrou ainda mais incômodo com a declaração. “Não, ninguém sentiu pressão, não. Por que pressão? Faz parte. Pegamos o Fluminense e jogamos, Fluminense é uma equipe grande, confronto parecido com esse, ninguém sentiu pressão nenhuma”, rebateu o meia revelado pelo Vasco, que já tem quatro anos como profissional.

O líder Cássio evitou criticar o discurso do treinador, mas fez questão de defender os garotos. “Perdeu, perdeu todo mundo. Ganhou, ganhou todo mundo. É fazer um grande jogo contra o Bahia e depois pensar nisso. Uma vitória nos dará confiança para quarta”, afirmou o goleiro. O Corinthians agora precisará vencer por dois ou mais gols de diferença no jogo da próxima quarta-feira, 25, no Equador, para avançar à decisão da Sul-Americana.

(com Gazeta Press e Estadão Conteúdo)