Clique e assine a partir de 9,90/mês

Cancelamento do Mundial de Surfe pode ser boa notícia para Jogos de Tóquio

Temporada de 2021 começará ainda em novembro deste ano e poderá servir como treino de luxo para Gabriel Medina e Ítalo Ferreira na Olimpíada

Por Danilo Monteiro - 17 jul 2020, 15h21

A World Surf League (WSL) anunciou nesta sexta-feira, 17, o cancelamento do Mundial de Surfe 2020, devido à pandemia de coronavírus. A organização destacou que, apesar de a modalidade ser adaptável aos protocolos sanitários, a segurança dos atletas e funcionários é prioridade.

“Depois de cuidadosa consideração e longas discussões com as partes envolvidas, tomamos a decisão de adiar o Mundial de 2020 por causa da pandemia. Acreditamos que o surfe está entre os esportes que melhor se encaixam nos termos de segurança que a Covid-19 impõe, mas temos imenso respeito pela preocupações de nossa comunidade”, explicou Eric Logan, CEO da WSL.

O cancelamento da atual temporada pode ser uma boa notícia para os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para o ano que vem, apesar do longo período sem competições. A WSL divulgou nesta sexta o calendário provisório da temporada de 2021, que será iniciada ainda em novembro deste ano, com a etapa de Maui, no Havaí, na categoria feminina. O circuito masculino terá início em dezembro, na etapa de O’ahu, também no Havaí. As novas datas transformarão a competição em uma preparação de luxo para a Olimpíada, que têm abertura marcada para 23 julho de 2021.

Normalmente, as temporadas da WSL começam em abril, o que daria mais ou menos dois meses de competição antes dos Jogos Olímpicos. Com o campeonato começando no final de novembro, serão cerca de oito meses de preparação em competições de alto nível, incluindo seis etapas do Mundial para homens e mulheres antes da inédita participação em Olimpíadas.

Continua após a publicidade

A organização do Mundial de Surfe aproveitou a paralisação em razão da pandemia para alterar o formato da competição. O novo modelo seguirá tendo uma fase de pontos corridos, mas o campeão será decidido em uma final que reunirá os cinco melhores surfistas do gênero masculino e feminino. A ideia surgiu a partir do sucesso da temporada de 2019, quando os brasileiros Gabriel Medina e Ítalo Ferreira decidiram o campeonato em duelo direto na última etapa.

O cancelamento da atual temporada e alteração do formato da próxima não irão mudar a configuração de atletas já classificados para as Olimpíadas via WSL, mas cinco vagas do masculino e sete do feminino ainda estão em aberto e serão decididas no World Surfing Games, torneio organizado pela Associação Internacional de Surfe (ISA). A competição seria realizada em maio, mas foi adiada por tempo indeterminado.

A temporada de 2021 da WSL dará uma boa capacidade de preparação para os atletas antes dos Jogos de Tóquio, no entanto, a paralisação de quase um ano torna ainda mais imprevisível o resultado da Olimpíada. Nos últimos dez anos do Mundial de Surfe, sete diferentes competidores foram campeões no masculino, incluindo os brasileiros Adriano de Souza, Ítalo Ferreira e Gabriel Medina (2) – os dois últimos, atuais campeão e vice, representarão o país nos Jogos.

Confira o calendário provisório da temporada 2021 da WSL:

Havaí: 25 de novembro a 6 de dezembro de 2020
Portugal: 18 a 28 de fevereiro
Queensland, Austrália: 18 a 28 de março
Victoria, Austrália: 1º a 11 de abril
Western Australia, Austrália: 16 a 26 de abril
Saquarema, Rio de Janeiro: 20 a 29 de maio
Surf Ranch Califórnia, EUA: 10 a 13 de junho
Indonésia: 20 a 29 de junho
África do Sul: 7 a 19 de julho
Teahupo’o, Taiti: 26 de agosto a 6 de setembro
WSL Finals, sem local definido: 8 a 16 de setembro

Publicidade