Clique e assine a partir de 9,90/mês

Campeã olímpica Jacqueline fará parte da comissão técnica das Seleções de base

Por Da Redação - 19 jan 2012, 11h40

Campeã olímpica em Atlanta-1996, a ex-jogadora Jacqueline Silva encara uma nova tarefa dentro do vôlei de praia. A ex-atleta fará parte da comissão técnica das Seleções de base femininas do Brasil e ajudará no desenvolvimento do esporte.

O trabalho de Jacqueline será em conjunto com Marcos Albuquerque, que segue no cargo representando a base masculina, e Jorge Barros, responsável pela supervisão de ambos. A ex-atleta irá acompanhar as categorias Sub-19 e Sub-21 no Circuito Brasileiro de vôlei de praia para poder decidir quais jogadoras irão compor o elenco para a disputa dos Mundiais.

‘O Campeonato Mundial Sub-19 acontecerá em julho, no Chipre, e, o Sub-21, em agosto, no Canadá. As equipes escolhidas serão treinadas pela comissão técnica para chegarem às competições internacionais mais bem preparadas’, comentou o superintendente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), Tadeu Saad.

Jacqueline venceu a primeira olimpíada que contou com a disputa do vôlei nas areias, em Atlanta-1996, e se mostrou animada com a nova função dentro do esporte.

Continua após a publicidade

‘Mesmo durante minha época de atleta eu já fazia, de certa forma, o trabalho de uma técnica. Sempre joguei com parceiras mais jovens e procurava ajudar no desenvolvimento delas, passando a minha experiência. Foi assim com a Sandra, com a Talita, com a Maria Clara e com a Juliana, por exemplo. Estou muito feliz por fazer parte deste projeto da CBV, que se propõe a dar suporte ao atleta no momento em que ele precisa, quando está começando e ainda não atingiu a estabilidade na carreira’, declarou Jacqueline Silva.

Jorge Barros acredita que o trabalho de acompanhamento dos jovens atletas vai render frutos nas Olimpíadas 2016, programadas para acontecer no Rio de Janeiro. ‘O vôlei de praia brasileiro tem inúmeros talentos, espalhados por todo o país. Vamos acompanhar de perto as competições de base permanentemente, detectar os atletas que se encaixam no perfil adequado e trabalhar o desenvolvimento deles visando 2016’, projetou.

Publicidade