Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Calleri diz que Tevez ‘recomendou’ ida ao São Paulo

Atacante argentino de 22 anos chegou ao Morumbi por empréstimo de seis meses – mas diz que pode ampliar o vínculo em caso de título da Libertadores

Por Da Redação - 1 fev 2016, 16h44

O atacante argentino Jonathan Calleri foi apresentado nesta segunda-feira como reforço do São Paulo para o primeiro semestre. Vindo do Boca Juniors, o jogador de 22 anos tem um acerto com a Inter de Milão, clube italiano que deverá defender a partir de julho. Calleri disse que seu principal objetivo é conquistar a Libertadores e que, neste caso, até cogitaria permanecer no clube para disputar o Mundial de Clubes. Calleri ainda contou que escolheu o São Paulo por recomendação de um ídolo do rival Corinthians: Carlitos Tevez.

“Carlos é muito reconhecido aqui. Ele me ensinou muito no Boca e me ajudou a conquistar o sonho de ser campeão. Falei com ele sobre a cidade e ele me recomendou a vir para o São Paulo pelas pessoas e pelo clube”, contou Calleri, que atuou seis meses com Tevez no Boca Juniors.

Leia também:

Corinthians e Palmeiras vencem na estreia do Paulistão; São Paulo e Santos tropeçam

Publicidade

Clássico ‘amistoso’ na Argentina termina em pancadaria

Zagueiro do São Paulo é convocado para seleção sub-20 da Sérvia

Falando apenas em espanhol durante a sua apresentação, no CT da Barra Funda, Calleri disse que o fato de o treinador Edgardo “Patón” Bauza ser argentino também facilitou sua escolha pelo time do Morumbi – o Atlético-MG também fez proposta oficial pelo jogador.

Calleri saiu do Boca Juniors com o passe comprado por um grupo de empresários, que o registrou no Deportivo Maldonado, do Uruguai, mas já acertou sua venda à Inter de Milão. No entanto, a passagem de empréstimo pelo São Paulo pode aumentar em caso de título continental. “Meu objetivo principal é ganhar a Libertadores. Tem um bom grupo, com bons jogadores. Se ganhar, eu fico. Quem não quer jogar um Mundial de Clubes?”

Publicidade

Apesar da saída, Calleri mantém forte ligação com o Boca Juniors, seu time do coração e pelo qual foi campeão argentino em 2015. Ele usará a camisa 12, em referência à “La Doce”, a principal torcida organizada do Boca. “Meu número é o 27, mas como me disseram que na primeira fase da Libertadores é só até o 25, vou usar a 12 em reconhecimento ao clube que me deu a chance de vir para cá”, explicou. Calleri deve viajar com a equipe para o Peru, onde na quarta-feira o São Paulo enfrenta o Cesar Vallejo, pela etapa preliminar da Copa Libertadores.

(da redação)

Publicidade