Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cabeça de chave do grupo da morte, Holanda estreia com obrigação de vencer

Redação Central, 8 jun (EFE).- A Holanda teve o privilégio de ser cabeça de chave da Eurocopa 2012, mas o sorteio não foi generoso, e a seleção do técnico Bert van Marwijk acabou caindo no grupo da morte, que tem Alemanha, Portugal, e Dinamarca, adversária de estreia da vice-campeã mundial neste sábado, no Estádio Metalist, em Kharkiv (Ucrânia).

O retrospecto recente, com uma vitória por 3 a 0 na Euro-2000 e outra por 2 a 0, no Mundial da África do Sul, torna a seleção holandesa favorita contra os dinamarqueses, mas ao mesmo tempo a pressiona por uma vitória, principalmente devido à força dos outros integrantes do grupo A.

Campeã continental em 1988, com Van Basten, Gullit e outros no time, a Holanda fez uma eliminatória praticamente perfeita, com apenas um tropeço, contra a Suécia. Nos amistosos de preparação, a equipe venceu a Eslováquia por 2 a 0 e goleou a Irlanda do Norte: 6 a 0.

Para a estreia, Van Marwijk voltará a contar com um ataque de luxo e em forma para tentar um novo triunfo. Recuperado de lesão que o tornou desfalque do Barcelona por quase oito meses, Ibrahim Afellay teve grande exibição contra os norte-irlandeses e será titular.

O atacante do Barça formará um trio ofensivo com dois jogadores em fases distintas. Van Persie é o grande nome do Arsenal na atualidade e foi artilheiro do Campeonato Inglês, enquanto Robben perdeu pênaltis decisivos que impediram o Bayern de Munique de vencer o Campeonato Alemão e a Liga dos Campeões.

O meio-campo é o mesmo da campanha que culminou com o vice na Copa: Van Bommel e De Jong são os encarregados de recuperar a bola, e o Sneijder é o responsável por fazer a bola chegar redonda no ataque. Na defesa, a lateral esquerda se tornou um problema devido à lesão de Pieters. Willems deverá começar jogando na posição.

Em partidas oficiais, a Holanda só foi derrotada pela Dinamarca uma vez, em 1967. No entanto, a grande lembrança do lado vermelho do confronto é um empate, nas semifinais da Euro-1992. Após o 2 a 2 do tempo normal, Michael Laudrup e companhia levaram a melhor nos pênaltis.

E é na equipe de 20 anos atrás, que entrou no torneio como convidada para substituir a Iugoslávia, que os comandados de Morten Olsen tentam se espelhar.

Contudo, a torcida não deve se empolgar muito. Além de ter caído em uma chave difícil, a Dinamarca mostrou insegurança e pouco poder de força no ataque nos amistosos contra o Brasil, em que perdeu por 3 a 1, e Austrália, mesmo tendo vencido por 2 a 0.

Para piorar, Olsen perdeu um de seus homens de confiança às vésperas da Eurocopa. O goleiro Sorensen sentiu uma lesão nas costas na partida contra a seleção brasileira e teve que ser cortado. Andersen será o substituto.

Os destaques da equipe são o zagueiro Agger, do Liverpool, o meia Eriksen, do Ajax, o veterano atacante Rommedahl, que deverá atuar mais recuado, e o também atacante Bendtner, ex-Arsenal, que provavelmente ficará isolado na frente.

Prováveis escalações:.

Holanda: Stekelenburg; Bouma, Heitinga, Vlaar e Willems; Van Bommel, Nigel de Jong e Sneijder; Afellay, Robben e Van Persie. Técnico: Bert van Marwijk.

Dinamarca: Andersen; Jacobsen, Kjaer, Agger e Simon Poulsen; Zimling, Kvist, Eriksen, Krohn-Dehli e Rommedahl; Bendtner. Técnico: Morten Olsen.

Arbitragem: Damir Skomina (Eslovênia), auxiliado por seus compatriotas Primoz Arhar e Matej Zunic. EFE