Clique e assine a partir de 9,90/mês

Button desbanca Vettel e vence GP da Hungria de F-1

Por Da Redação - 31 jul 2011, 11h26

Por AE

Budapeste – Em uma das corridas mais equilibradas do ano, o inglês Jenson Button comemorou seu 200º GP na Fórmula 1 com uma grande vitória na Hungria, neste domingo. Com seu segundo triunfo em 2011, o piloto confirmou a reação da McLaren na temporada e não deu chances para a rival Red Bull.

Líder do campeonato, o alemão Sebastian Vettel chegou em segundo lugar e completou sua terceira corrida sem vitória, depois de uma sequência de seis triunfos em oito etapas. O terceiro lugar no pódio ficou com o espanhol Fernando Alonso. O inglês Lewis Hamilton, que chegou a liderar boa parte da prova, chegou em quarto. O brasileiro Felipe Massa foi o sexto colocado.

Apesar do revés, Vettel ainda não teve ameaçada sua liderança, agora com 234 pontos. Seus rivais diretos no campeonato, o vice-líder Webber (149) e o terceiro colocado Hamilton (146), seguem distantes na pontuação. Alonso (145) continua na quarta posição, enquanto Button se manteve em quinto (134). Massa é o sexto, com 70.

A vitória de Button neste domingo foi decidida na estratégia e na escolha dos pneus mais adequados no instável tempo de Budapeste. Em um duelo equilibrado, ele mostrou ter tanto ritmo quanto os carros da Red Bull e superou Hamilton ao fazer apenas três paradas nos boxes, três a menos que o companheiro da McLaren.

A CORRIDA – Com uma largada sob chuva, os pilotos perceberam logo no início que teriam trabalho para se manter na pista molhada do circuito de Hungaroring. Massa e Hamilton foram os primeiros a ter dificuldade, por saírem no lado sujo na pista. Mas, aos poucos, todos sofreram com a falta de estabilidade dos pneus.

A instabilidade gerou um festival de derrapagens, principalmente envolvendo os seis principais pilotos da corrida. Para agravar a situação, os favoritos não hesitaram em arriscar nas estratégias e na postura diante dos rivais, por conta de maior equilíbrio entre as três principais equipes.

Neste cenário, inédito na temporada, as constantes derrapagens e as seguidas paradas nos boxes deixaram a prova muito disputada nas primeiras colocações. Nas trocas de pneus, motivadas pela oscilação no tempo, Hamilton, Button, Vettel e Alonso se alternavam na ponta, enquanto Webber e Massa eram os coadjuvantes da briga.

Button ficou em vantagem por conta dos vacilos de Hamilton. Seu companheiro de equipe liderou boa parte da corrida, mas ficou para trás após receber uma punição. Ele precisou fazer uma parada extra nos boxes por ter dado uma arrancada imprudente no meio da pista depois de derrapar. Além disso, Hamilton fez outras duas paradas equivocadas por ter escolhido mal os pneus. Button aproveitou a chance e manteve a ponta até a linha de chegada.

Massa teve dificuldade por largar no lado sujo da pista e perdeu três posições logo no início. A situação ficou mais complicada quando rodou na oitava volta e voltou a ficar para trás. Mesmo com a asa danificada, se manteve na briga e chegou até a duelar com Alonso. No entanto, não conseguiu acompanhar o ritmo dos primeiros colocados e terminou em 6º.

Rubens Barrichello fez boa largada, ao saltar da 15ª para a 11ª colocação. O piloto da Williams chegou a entrar na zona de pontuação, mas acabou terminando somente no 13º lugar por conta das cinco paradas durante a corrida.

A prova deste domingo ainda foi marcada por um susto levado por Nick Heidfeld, logo após deixar os boxes, na volta 25. Por conta de um erro no pit stop, seu carro começou a pegar fogo e ele precisou deixar o veículo correndo antes de ser surpreendido por uma pequena explosão. Schumacher, Jarno Trulli e Heikki Kovalainen também abandonaram a prova.

Depois da etapa em Budapeste, os pilotos terão um recesso de quase um mês na Fórmula 1. A próxima corrida só será disputada no dia 28 de agosto, no circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica.

Confira a classificação final do GP da Hungria:

1.º – Jenson Button (ING/McLaren)

2.º – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 3s5

3.º – Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 19s8

4.º – Lewis Hamilton (ING/McLaren), 48s3

5.º – Mark Webber (AUS/Red Bull), 49s7

Continua após a publicidade

6.º – Felipe Massa (BRA/Ferrari), 83s1

7.º – Paul di Resta (ESC/Force India), 1 volta

8.º – Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), 1 volta

9.º – Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 1 volta

10.º – Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso), 1 volta

11.º – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber), 1 volta

12.º – Vitaly Petrov (RUS/Renault), 1 volta

13.º – Rubens Barrichello (BRA/Williams), 2 voltas

14.º – Adrian Sutil (ALE/Force India), 2 voltas

15.º – Sergio Perez (MEX/Sauber), 2 voltas

16.º – Pastor Maldonado (VEN/Williams), 2 voltas

17.º – Timo Glock (ALE/Virgin), 4 voltas

18.º – Daniel Ricciardo (AUS/Hispania), 4 voltas

19.º – Jerome d’Ambrosio (BEL/Virgin), 5 voltas

20.º – Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania), 5 voltas

Não completaram a prova:

Heikki Kovalainen (FIN/Lotus)

Michael Schumacher(ALE/Mercedes)

Nick Heidfeld (ALE/Renault)

Jarno Trulli (ITA/Lotus)

Continua após a publicidade
Publicidade