Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Briga entre torcedores e policiais deixa 19 mortos no Egito

Confusão aconteceu antes da partida entre Zamalek e ENPPI, no Cairo. Liga egípcia foi suspensa por tempo indeterminado após a nova tragédia no país

A história do futebol egípcio, marcada por tragédias recentes, ganhou mais um capítulo triste neste domingo. Pelo menos 19 pessoas morreram e mais de 20 ficaram feridas em uma briga generalizada entre a torcida do Zamalek e a polícia, pouco antes da partida contra o ENPPI, nos arredores do Estádio Air Defense, no Cairo. A princípio a contagem de mortos chegava a 30, de acordo com a imprensa local, mas nesta segunda-feira o governo divulgou o número oficial de 19 vítimas. A liga nacional foi suspensa por tempo indeterminado.

Leia também:

Dois anos após tragédia, Egito tem nova guerra em estádio

Tumulto em jogo no Egito deixa 74 mortos

Segundo relato de testemunhas, tudo começou quando a polícia disparou balas de chumbo e gás lacrimogêneo contra os torcedores. No entanto, o Ministério da Saúde do Egito garante que o tumulto iniciou-se quando torcedores do Zamalek sem ingresso tentaram forçar a entrada no estádio, que pertence ao exército.

Ahmed Mansour, membro do conselho do Zamalek, postou em suas redes sociais palavras de repúdio ao grupo de torcedores. “Vocês não entendem nada. Ninguém tem permissão para entrar à força. Ninguém tem permissão de assistir à partida sem ingresso. Futebol é apenas para fãs respeitáveis. Bandidos não são permitidos aqui”, escreveu.

Nesta segunda-feira, as autoridades egípcias se isentaram de culpa. O chefe de serviços emergenciais, Khaled al-Khalib, assegurou que a força policial não teve envolvimento nas mortes. “As mortes foram causadas por esmagamento, não há sinais de tiros. As vítimas tinham várias lesões, algumas tinham até pescoços quebrados. As pessoas estavam se atropelando”, explica, alegando que houve pisoteamento quando os torcedores tentaram forçar a entrada ao estádio. Mesmo após a confusão, a partida aconteceu e terminou empatada em 1 a 1.

Este foi o episódio mais violento do esporte no Egito desde a tragédia de Port Said, ocorrida em 1º de fevereiro de 2012. Na ocasião, 74 pessoas morreram e 254 ficaram feridas após brigas entre torcedores do Al Ahly, o clube mais popular do país, e do Al Masri.

#مجزرة_الدفاع_الجوي Photos of today’s massacre. Source: Ultras White Knights #Zamalek pic.twitter.com/LOOICCEfXT

– Ibrahim Halawi (@Ibrahimhalawi) 8 fevereiro 2015

(Com Gazeta Press)