Clique e assine a partir de 9,90/mês

Breno deixará prisão e deve retornar ao São Paulo

Preso na Alemanha por incendiar a própria casa em 2012, zagueiro será liberado no dia 20 e poderá retomar a sua carreira no clube que o revelou

Por Da Redação - 5 dez 2014, 11h21

O brasileiro Breno, ex-zagueiro do São Paulo e do Bayern de Munique, deixará a prisão no próximo dia 20 e poderá retornar ao Brasil antes do Natal. Barbara Stockinger, porta-voz do Tribunal de Justiça da Baviera (Alemanha), informou nesta sexta-feira que o atleta de 25 anos será solto após cumprir dois terços da pena de três anos e nove meses. Assim, Breno poderá voltar a atuar profissionalmente e há boa chance de ser integrado ao elenco do São Paulo, clube com o qual tem contrato até outubro de 2015. Em julho de 2012, ele foi condenado por incendiar a própria casa na Alemanha.

Leia também:

Ex-presidente do Bayern cumprirá pena na mesma prisão que Breno

Lewandowski poderá morar na casa incendiada por Breno

Continua após a publicidade

Após 13 meses na prisão, Breno volta a trabalhar no Bayern

Breno cometeu o crime no dia 19 de setembro de 2011 e no fim de 2013 foi autorizado pela Justiça alemã a cumprir o resto de sua pena em regime semiaberto por bom comportamento. Depois, passou a trabalhar na área administrativa do Bayern. O São Paulo assinou um compromisso com o zagueiro enquanto ele esteve na prisão – ele foi vendido ao Bayern de Munique por 19 milhões de dólares. Revelação em 2007, Breno conquistou o Brasileirão daquele ano e chegou a ser convocado para a seleção, mas sofreu uma série de lesões no joelho.

Breno admitiu o incêndio proposital, que destruiu a sua casa e causou um prejuízo estimado em 2,3 milhões de reais na época. O zagueiro saiu ileso do incêndio e declarou que havia consumido muito álcool antes do incidente. Os juízes entenderam que o fato de estar alcoolizado não amenizava a situação e o condenaram por ter provocado intencionalmente o incêndio.

Breno foi preso em setembro de 2011 e libertado após o Bayern de Munique pagar fiança. O contrato com o time alemão se encerrou após o término da temporada 2011/2012 do futebol europeu. Desde sua chegada, nunca conseguiu se firmar entre os titulares e, sem espaço no clube, teria entrado em depressão e passado a exagerar no álcool, o que teria causado também problemas de relacionamento com a mulher e a crise que culminou com o incêndio.

Continua após a publicidade
Prejuízo após incêndio na casa foi de quase 4 milhões de reais
Prejuízo após incêndio na casa foi de quase 4 milhões de reais VEJA

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade