Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasileiros perdem de cubanos e levam pratas no boxe

Por AE

Guadalajara – A evolução do boxe olímpico brasileiro, que conquistou um ouro e um bronze no Mundial de Baku (Azerbaijão), no começo do mês, ainda para na superioridade cubana no continente. Neste sábado, as duas finais do Pan que tiveram atletas dos dois países se enfrentando tiveram as medalhas de ouro ficando com Cuba – e a prata com o Brasil. Os cinco confrontos entre cubanos e brasileiros em Guadalajara foram vencidos pelos caribenhos.

Robson da Conceição perdeu a decisão da categoria até 60kg para o cubano Yasnier Toledo, por 16 a 11. Depois, Yamaguchi Florentino (até 81kg) subiu ao ringue e foi derrotado por Julio Cesar la Cruz, por 22 a 12. Com duas pratas e cinco bronzes, o Brasil fecha o boxe do Pan de Guadalajara com um desempenho pior do que teve no Rio: um ouro, uma prata e seis bronzes. Os boxeadores cubanos conquistaram oito medalhas de ouro no México.

Robson da Conceição culpou os árbitros pela sua derrota para Yasnier Toledo, vice-campeão mundial. O brasileiro teve mais volume de golpes no primeiro round, se defendeu bem, mas viu os juízes marcarem 5 a 3 para o cubano. No segundo assalto, aí sim o caribenho tomou o domínio da luta e venceu por 7 a 4. Precisando reverter cinco pontos de diferença, o brasileiro foi para cima no último round, conseguiu um empate em 4 a 4, mas não evitou a derrota na luta por 16 a 11.

“Eu lutei como verdadeiro campeão. Perdi não para o lutador, perdi para o nome do país Cuba. O primeiro (round) eu achei que não estava perdendo por esses dois pontos, consegui buscar, mas os árbitros não deram. Agora vamos continuar treinando para Londres, em 2012”, disse Robson, que se garantiu nos Jogos Olímpicos ao ficar entre os dez primeiros colocados do Mundial de Boxe, no começo do mês.

Yamaguchi Florentino teve uma parada ainda mais dura, contra Julio Cesar la Cruz, campeão mundial da categoria. O brasileiro perdeu o primeiro round por 6 a 2 e reagiu no segundo, em que houve empate em 7 a 7. Buscou mais a luta, mas foi atingido pelo adversário, que tem a capacidade de golpear quando dá passos para trás. No terceiro, percebendo-se em desvantagem, Yamaguchi foi para cima de forma desordenada, e se cansou “procurando” o adversário no ringue, que tem muita habilidade para se esquivar. O árbitro chegou até a abrir contagem.

“O cubano ele está na melhor fase dele. Ele é campeão mundial recente e eu sabia que ia ser uma luta difícil, mas não impossível. Boxe é vencer e perder também. Achei que lutei muito bem, poderia fazer melhor, mas não deu”, comentou Yamaguchi, à TV Record.