Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Brasileiros lamentam eliminação precoce na Liga Mundial

Por Da Redação
5 jul 2012, 18h35

Por AE

Sofia – Ao cair por 3 sets a 2 diante da Polônia nesta quinta-feira, em Sofia, na Bulgária, a seleção brasileira masculina de vôlei amargou uma eliminação rara em fases de classificação da Liga Mundial. O Brasil não caía antes da semifinal desde 1998, e os jogadores do time nacional não esconderam a decepção com o revés sofrido diante dos poloneses, que passaram a contabilizar quatro vitórias em cinco jogos diante da equipe comandada por Bernardinho nesta edição da competição.

“Isso é novo para a maioria. Sofremos muito com lesões, mas é difícil falar sobre isso porque pode parecer desculpa. E não gosto de dar desculpas. Estando 100% ou não, quem está em quadra está representando a seleção brasileira, vestindo a camisa amarela e tem que fazer o melhor sempre”, afirmou o atacante Murilo, que está há nove anos defendendo o Brasil.

O jogador também lamentou a instabilidade exibida pela seleção brasileira no jogo diante da Polônia. “Demos uma desandada no final do terceiro set. Estávamos cinco pontos à frente e pecamos em alguns momentos. E sabemos que não dá pra baixar a guarda nunca. É chato, não pode acontecer, mas, infelizmente, aconteceu. Tentamos retornar no tie-break, mas ficou difícil. Nosso saque já não fez mais tanto efeito, não conseguimos (pontos em) três contra-ataques e ficou ainda mais complicado”, completou.

Continua após a publicidade

O central Lucão, por sua vez, também citou as lesões sofridas por jogadores importantes, que não conseguiram disputar esta Liga Mundial dentro das suas melhores condições físicas. “A equipe mostrou uma evolução boa, de determinação e de voleibol, mas sofremos muito com as lesões. Murilo, Dante, Giba, Vissotto, todos voltando de um tempo sem jogar. Agora precisamos trabalhar ainda mais. Temos três semanas para pensar somente nos Jogos Olímpicos. Temos que treinar, botar a cabeça no lugar e que tudo isso sirva de aprendizado para mostrar que o que estamos fazendo não é o suficiente”, ressaltou.

Já ao falar da decepção que é ficar fora da semifinal da Liga Mundial, Lucão lembrou que essa também foi uma situação inédita para ele na seleção brasileira. “É a primeira vez que vivo isso e, claro, é muito frustrante. Mas o nosso foco está, realmente, na Olimpíada. Estamos trabalhando forte e, com certeza, treinamento e determinação dentro de quadra não estão faltando. Precisamos ter o grupo completo, com todos zerados das leões, para conseguirmos trabalhar o grupo como um todo”, acrescentou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.