Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasileiros ignoram fragilidade do México e exaltam ritmo de jogo

A fácil vitória da seleção brasileira masculina de basquete sobre o México por 79 a 57, nesta quinta-feira, serviu mais para dar ritmo de jogo aos atletas que disputarão o Pré-olímpico de Mar del Plata do que para testar a eficiência da equipe. Segundo os jogadores comandados por Ruben Magnano, não importa a fragilidade do adversário, mas a chance de realizar o maior número possível de partidas antes do torneio que pode classificar o Brasil aos Jogos Olímpicos de Londres-2012.

‘O importante é nosso ritmo de jogo, a gente fazer nosso trabalho, o Ruben vem falando muito isso para a gente. É fazer aquilo que a gente tem treinado, colocando muita intensidade, muito ritmo’, avaliou o ala/pivô Guilherme Giovannoni, melhor jogador da vitória brasileira, com 20 pontos marcados.O Brasil volta a enfrentar o México no sábado, novamente em São Paulo, e o objetivo na segunda partida é o mesmo: adquirir ritmo de jogo e entrosamento para o Pré-olímpico. ‘Na verdade esses jogos são sem olhar muito contra quem a gente está jogando e tentar fazer o que a gente tem treinado’, explicou Giovannoni.

Outra estrela da seleção brasileira, o armador Marcelinho Huertas comemorou a oportunidade de disputar partidas, após longo período de treinamento da equipe. A preparação do Brasil começou em 4 de julho e o pré-Olímpico tem início marcado apenas para 30 de agosto.

Antes de atuar na Argentina, a seleção brasileira disputa em Foz do Iguaçu a Copa Tuto Marchand, em que enfrentará Canadá, Porto Rico e República Dominicana, adversários do Pré-olímpico.

‘Para nós que estamos aqui faz tempo, é importante para pegar ritmo, apesar de a gente se conhecer bastante bem. A gente está numa fase de treinos, começamos antes que as outras seleções, e só falta entrar 100% nesse equilíbrio técnico e tático que vai fazer a gente conseguir essa vaga olímpica’, afirmou Huertas, recém-contratado pelo Barcelona.