Clique e assine com até 92% de desconto

Brasileiros esquecem partida contra britânicos e miram duelo com a Rússia

Por Da Redação 1 ago 2012, 13h43

Londres, 1 ago (EFE).- A seleção brasileira masculina de basquete sabe que no próximo duelo dos Jogos Olímpicos, contra a Rússia, os erros cometidos diante da Grã-Bretanha não podem se repetir por se tratar de um rival direto na busca por uma vaga nas quartas de final.

Os jogadores brasileiros preferem não lembrar a partida contra a Grã-Bretanha, na qual, segundo Tiago Splitter, ‘o melhor foi a vitória’.

Todos consideram que o primeiro quarto da partida, quando só anotaram quatro pontos, é uma ‘lembrança negativa’. ‘Nunca vi coisa igual’, disse o treinador da seleção, o argentino Rubén Magnano.

A falta de concentração foi o principal rival do grupo na partida contra os anfitriões, e a seleção tem consciência de que contra a Rússia, que assim como o Brasil tem duas vitórias em dois jogos, precisa haver maior consistência de jogo.

O Brasil não terá vida fácil, já que dois atletas da Rússia aparecem como os melhores do torneio. Andrei Kirilenko é o maior cestinha da competição, com 51 pontos anotados em duas partidas, enquanto Alexey Shved é o melhor em assistências, com 19 em dois jogos.

Continua após a publicidade

Os brasileiros estão ajustando as rotações de pivô. Com Tiago Splitter em sua melhor forma (o brasileiro fez 21 pontos contra a Grã-Bretanha), falta agora Leandrinho acertar a mão e contribuir anotando mais pontos para seleção.

O líder da equipe em quadra é Marcelinho Huertas e sua conexão com Splitter segue funcionando com perfeição, assim como quando jogavam na Espanha, no Caja Laboral Baskonia.

Magnano, com sua experiência, soube canalizar a qualidade de seus jogadores e conseguiu uma mistura perfeita de técnica e improvisação que os brasileiros necessitam para seguir na luta por uma medalha olímpíca.

O Brasil enfrenta a Rússia na quinta-feira, às 10h45 (horário de Brasília).EFE

moli/ff

Continua após a publicidade
Publicidade