Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Brasileiro vence etapa do circuito de surfe aos 17 anos

Por Da Redação 12 out 2011, 10h11

Por Giuliander Carpes

Hossegor, França – Gabriel Medina fez história. O brasileiro, de apenas 17 anos, consagrou-se nesta quarta-feira como o mais jovem campeão de uma etapa do Circuito Mundial de Surfe em todos os tempos. E o título em Hossegor, na França, veio com classe e mostras de que a jovem promessa do País já é mesmo uma realidade.

Foi apenas a terceira etapa que o brasileiro disputou como integrante da elite do surfe mundial. E o paulista de São Sebastião já teve força mental e talento para conseguir uma vitória que muitos dos maiores surfistas brasileiros da história jamais conseguiram. Medina não deu a mínima chance para Kelly Slater nas quartas de final.

“É o momento mais importante da minha carreira, senti que estava surfando muito bem e tinha uma chance. Estou muito feliz”, disse o jovem, de poucas palavras, mas cujas manobras falam muito alto por ele. O brasileiro simplesmente arrebentou. Três das cinco melhores ondas da competição foram suas, inclusive um 10 marcado na semifinal e o 9,17 marcado a um minuto do final da bateria decisiva contra Julian Wilson.

Medina precisava de 8,25 para virar o confronto contra o australiano de 22 anos. E a base de aéreos e manobras estilosas conseguiu. “É incrível. Comecei devagar, as condições estavam difíceis devido à maré alta. Tive de dar o meu máximo ali no final e arriscar. Só tenho a agradecer, obrigado a todo mundo que torceu por mim”, afirmou o brasileiro.

O jovem já é observado há algum tempo pelas principais estrelas do circuito, desde que conquistou uma etapa da divisão de acesso do circuito mundial aos 15 anos, na Praia Mole, em Florianópolis. Este ano, em Lacanau, na França, Medina chocou o circuito ao conquistar título pro júnior com duas notas 10 na final e uma atuação perfeita.

Só faltava um título de uma etapa do circuito mundial, o ASP World Tour, para começar a ser temido. E ela veio logo no Dia das Crianças, para um adolescente que sempre recebeu pranchas de surfe de presente quando a maioria das crianças do País ganha bolas de futebol. “Estou muito emocionado. Não achava que poderia ir bem tão cedo. Tenho bastante coisa para melhorar, principalmente em ondas que nunca surfei como Tahiti, mas sei do meu potencial”, contou Medina. “Agora já dá pra sonhar um pouco mais. Meu próximo objetivo é ser campeão mundial.”

Continua após a publicidade

Publicidade