Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasileira conquista ouro inédito no tiro esportivo

Por AE

Guadalajara – A brasileira Ana Luiza Mello Ferrão conquistou um resultado histórico para o tiro esportivo do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, nesta quarta-feira. A atiradora se tornou a primeira mulher do País a conquistar uma medalha de ouro pan-americano ao vencer a prova da pistola 25 metros. Ela somou 773.9 pontos, novo recorde da competição. Pouco antes, Roberto Schmits havia conquistado o bronze na fossa olímpica. O Brasil, assim, chegou a quatro medalhas no tiro esportivo em Guadalajara: um ouro e três bronzes.

O tiro esportivo é uma das modalidades que distribuem vaga olímpica nos Jogos Pan-Americanos, mas Ana Luiza já estava garantida em Londres, por ter sido campeã do Campeonato das Américas de Tiro Esportivo, realizado em novembro do ano passado, no Rio. Major do Exército, Ana Luiza, de 37 anos, também é professora de biologia. Ela é a 60.º colocada no ranking mundial da pistola 25 metros.

A prata na pistola 25 metros feminina ficou com a norte-americana Sandra Uptagrafft, que havia faturado o ouro no Pan do Rio e ostentava o recorde do campeonato. O bronze foi para Maribel Pineda, da Venezuela. Outra brasileira na disputa, Rachel da Silveira não se classificou à final, terminando a competição na 11.ª posição.

Pouco antes, a terceira medalha do tiro esportivo do Brasil no Pan havia sido conquistada por Roberto Schmits, que ficou com o bronze na disputa da fossa olímpica masculina. As demais medalhas do Brasil na modalidade haviam sido conquistadas por Julio Almeida, na pistola de ar 10 metros e na pistola livre 50 metros. Ambos não conseguiram a classificação olímpica.

Roberto havia avançado para a final com a quarta melhor pontuação dentre 28 competidores. Ele foi o melhor da decisão, somando mais 23 pontos e assumindo a terceira posição, com um total de 143 acertos. O ouro e a vaga olímpica ficaram com Jean Pierre Brol, da Guatemala, que fez 146 pontos – novo recorde da competição. A prata foi de Danilo Caro, da Colômbia, com 145.

Outro brasileiro na disputa da fossa olímpica, Rodrigo Bastos foi eliminado na primeira fase, terminando na 10.ª posição, a dois acertos de avançar à final.