Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil vence Jamaica e avança em 1.º no Pré-Olímpico

Por AE

Neiva – A seleção brasileira feminina teve mais trabalho do que o previsto, principalmente por conta de um apagão no segundo quarto, mas bateu a Jamaica por 73 a 50, nesta segunda-feira, pela terceira rodada da primeira fase do Pré-Olímpico de Neiva, na Colômbia. Com o resultado, o Brasil garantiu o primeiro lugar do Grupo B, ainda que venha a sofrer uma improvável derrota para o México, na terça-feira, no seu último jogo antes das semifinais.

Depois, serão mais dois jogos em busca da vaga para os Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem. Na semifinal, o Brasil vai cruzar com o segundo colocado do Grupo A, que tem Cuba e Argentina como maiores forças. Numa possível decisão, só a vitória interessa, uma vez que apenas a seleção campeã do Pré-Olímpico se garante em Londres. As demais semifinalistas terão nova chance no Pré-Olímpico Mundial.

Nas duas primeiras rodadas, o Brasil já havia vencido o Paraguai (por 117 a 34) e Canadá (56 a 39). Nesta segunda, encontrou dificuldades para marcar a pivô Vanessa Gidden, jamaicana que fez 23 pontos e foi a cestinha da partida.

Adrianinha valorizou a vitória sobre o rival de pouca expressão no basquete. “Como sempre, temos que respeitar todas as equipes. Primeiro tempo a Jamaica fez menos troca que o Brasil e isso fez diferença. A gente deu uma relaxada normal depois da vitória difícil sobre o Canadá ontem (domingo)”, comentou a armadora, falando ao Sportv. No segundo quarto, o Brasil fez apenas quatro pontos a mais que a Jamaica e foi para o intervalo com 13 pontos de vantagem: 38 a 25.

Pelo lado do Brasil, os destaques foram Érika e Damiris. A pivô do Atlanta Dreams fez 19 pontos e pegou sete rebotes. Já a jovem esperança do basquete brasileiro, MVP do Mundial Sub-19, marcou 12 pontos e deu duas assistências. Contra o Canadá, ela havia sido a cestinha, posto que foi de Érika no jogo frente ao Paraguai.

“Isso (conjunto) nós temos de sobra. Está todo mundo entrosado, todo mundo jogando bem. Uma é cestinha hoje, outra amanhã, é assim que a gente vai crescendo e pensando cada vez mais em Londres”, comentou Érika.

Apesar da vitória, a partida mostrou deficiências. Dos 18 arremessos depois da linha dos três pontos, só três entraram. Baixo aproveitamento também nos tiros livres: 12 de 22.