Clique e assine a partir de 9,90/mês

Brasil tem belas atuações, mas fica em nono e não avança à final

Ao som de 'Aquarela de Brasil' na voz de Ivete Sangalo, o público que compareceu à Arena Olímpica do Rio foi ao delírio com o conjunto verde e amarelo

Por Da redação - 20 Aug 2016, 15h55

Composta por Morgana Gmach, Emanuelle Lima, Jessica Maier, Gabrielle da Silva e Francielly Pereira, a Seleção Brasileira de ginástica rítmica entrou no tablado neste sábado sonhando com uma vaga na final da modalidade olímpica por equipes. Contando com ótimo desempenho, principalmente na rotação 2, as anfitriãs chegaram perto, mas não conseguiram a classificação. Em nono lugar, com um somatório de 32,649 pontos, o time brasileiro ficou a apenas uma colocação do objetivo.

LEIA TAMBÉM:
O encontro entre ídolo e fã da ginástica rítmica

A Seleção Brasileira teve uma bela atuação na rotação 1 (fitas) neste sábado. Ao som de Aquarela de Brasil na voz de Ivete Sangalo, o público que compareceu à Arena Olímpica do Rio foi ao delírio com o conjunto verde e amarelo. No entanto, algumas falhas durante o número acabaram tirando importantes pontos das brasileiras.

Uma queda de aparelho (fita) durante a montagem da bandeira do Brasil e a fita enrolada ao final da apresentação foram fatores essenciais para prejudicar um pouco o time brasileiro na classificação. Encerrando a primeira rotação com o décimo melhor desempenho, as anfitriãs tinham a esperança de realizar uma ótima atuação na rotação 2 para superar as chinesas e ucranianas e se classificar para a grande final.

Já na rotação 2 (três maças e dois arcos), a Seleção Brasileira confirmou suas intenções e saiu do tablado com uma nota superior ao que havia recebido na rotação anterior. Mais consistentes, o time da casa não cometeu erros como os da última apresentação e garantiram 16.883 pontos para se manter na briga por uma vaga na final.

Continua após a publicidade

Disputando a última vaga para a disputa por medalhas, Ucrânia e China se apresentaram pouco depois do Brasil. Nessa segunda rotação, as ucranianas não conseguiram superar as brasileiras, mas no somatório ainda se mantiveram na frente. Já a China não fez um bom número no tablado e ficou atrás do time verde e amarelo. Com isso, ao menos o nono lugar já estava garantido. Bastava esperar agora um grande vacilo de alguma seleção para subir mais um lugar na classificatória e avançar para a decisão.

Faltava apenas duas seleções para o fim da competição e o Brasil se manteve na oitava posição, no entanto, a Espanha teve uma atuação excelente na rotação 2 e subiu para o primeiro lugar, fato que jogou a Seleção para a nona posição e, consequentemente, para fora da grande final.

(Com GazetaPress)

Publicidade