Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Brasil sobe no quadro de medalhas e fica a dois pódios de recorde

País já tem 15 medalhas e mais três previamente garantidas; na Rio-2016, foram 19, sendo sete ouros (marca mais complicada de igualar)

Por Luiz Felipe Castro Atualizado em 3 ago 2021, 23h25 - Publicado em 3 ago 2021, 19h13

O Brasil teve uma terça-feira, 3, bastante proveitosa nos Jogos de Tóquio e crucial em seu objetivo de bater o recorde histórico de medalhas do país (19 no total, batido na Rio-2016). O bicampeonato conquistado por Martine Grael e Kahena Kunze na vela, somada ao ouro de Ana Marcela Cunha na maratona e outras medalhas no boxe e no atletismo, fizeram a delegação brasileira fechar o dia em alta no quadro geral, com quatro ouros, três pratas e oito bronzes, 14 no total.

Já há, no entanto, garantia de melhoria. Beatriz Ferreira e Hebert Conceição estão na semifinal do boxe e como não há disputa de terceiro lugar na modalidade, ao menos um bronze está garantido. O mesmo vale para a seleção masculina de futebol, que bateu o México na semifinal, e terá ao menos uma prata na decisão diante da Espanha, no próximo sábado 7.

  • Restam, portanto, três medalhas para alcançar 20 e superar a marca de cinco anos atrás. Já a meta de ouros será mais complicada: em 2016, foram sete, quatro a mais que a marca atual. Na ocasião, o Brasil terminou em 13º no quadro de medalhas, que prioriza o número de ouros ao valor total – caso haja igualdade de títulos, o número de pratas passa a ser o critério de desempate.

    Nesta terça, além do ouro na vela, o Brasil conquistou dois bronzes, com Thiago Braz, no salto com vara, resultado relativamente surpreendente, e com Alison dos Santos, o Piu, nos 400 metros com barreiras. A frustração ficou por conta da canoagem: Isaquias Queiroz e Jacky Godmann terminaram em quarto na canoagem C2 1000m. Isaquias, porém, é esperança de medalha na categoria individual.

    Brazil's Laura Pigossi (Bottom) and Brazil's Luisa Stefani celebrate after defeating Russia's Veronika Kudermetova and Russia's Elena Vesnina during the Tokyo 2020 Olympic Games women's doubles tennis match for the bronze medal at the Ariake Tennis Park in Tokyo on July 31, 2021. (Photo by Vincenzo PINTO / AFP)
    As brasileiras Luisa Stefani e Laura Pigossi foram a grande surpresa da lista Vincenzo Pinto/AFP

    Além dele, o país mantém chances reais com as seleções de vôlei – nesta terça, a masculina bateu o Japão por 3 sets a 0 e se garantiu na semifinal diante da Rússia – e com Pedro Barros e Luiz Francisco no skate park. Darlan Romani no arremesso de peso, Erica Sena na marcha atlética e a equipe de hipismo correm por fora.

    Nesta edição, o Brasil viu alguns favoritos fora do pódio, como o surfista Gabriel Medina, a skatista Pamela Rosa e a dupla de vôlei de praia Ágatha e Duda, mas obteve medalhas surpreendentes, como a de bronze da dupla de tênis feminino Luisa Stefani e Laura Pigossi.

    Confira, abaixo, o atual quadro de medalhas, que tem a China disparada no topo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade