Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil Open: Bellucci lamenta virada e eliminação precoce

Brasileiro desperdiçou match points e perdeu para o eslovaco Martin Klizan - próximo adversário de João Souza, o Feijão, no ATP 250 de São Paulo

Tenista número 1 do Brasil, Thomaz Bellucci teve dois match points para vencer o eslovaco Martin Klizan, mas desperdiçou as duas chances e foi eliminado na primeira rodada do Brasil Open, o torneio ATP 250 de São Paulo, na noite desta terça-feira. O brasileiro foi derrotado, de virada, pelo 38º colocado do ranking da ATP, por 2 sets a 1, parciais de 5/7, 6/3 e 7/5. Apesar da frustração, Bellucci afrmou após o duelo que o resultado se deu mais por mérito de Klizan do que por suas próprias falhas.

Leia também:

Brasil Open tem início em SP com espanhóis em destaque

Rio Open 2015 terá quadra extra e ingressos mais caros

Rafael Nadal está confirmado no Rio Open 2015

No terceiro e decisivo set, Bellucci sacava em 5/3 para fechar o jogo e teve dois match points, salvos por uma bola vencedora do eslovaco e um erro do paulista na rede. “Acho que ele jogou bem nos pontos que precisava, devolveu melhor, jogou bolas mais profundas e mereceu. Foi mais mérito dele do que demérito meu”, analisou Bellucci, 63º na lista da ATP.

Nos três games seguintes, o brasileiro não conseguiu esconder o cansaço e viu Klizan fechar a partida com várias pancadas do fundo da quadra. “Não achei que joguei mal no 5/3. Ele ganhou confiança depois que me quebrou. Tentei colocar tudo para trás e quebrar de volta, mas não tive mais chances. Tênis é assim, nesse nível um ponto faz muita diferença”, lamentou Bellucci.

Feijão – A tarefa de vingar Bellucci cabe agora ao brasileiro João Souza, o Feijão, que venceu o espanhol Pablo Carreño-Busta, em sets diretos, com parciais de 6/2 e 7/6 (8-6). Paulista de Mogi das Cruzes, Feijão quer ir bem no Aberto do Brasil para conquistar posições no ranking mundial e, consequentemente, disputar os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

“Quero terminar esse ano mais perto dos 60 melhores do mundo. Em junho ou julho, começa a convocação para a Olimpíada. Estar entre os top 50 seria melhor, porque entraria direto na Rio-2016. Quero jogar o máximo de torneios possível. Tudo que eu fizer vai somar para subir no ranking. Essa é minha meta”, avisou Feijão, atualmente o 110º do ranking da ATP.

“É o sonho de qualquer atleta brasileiro. Jogar a Olimpíada no próprio país é marcante e gratificante para qualquer um”, completou o tenista de 26 anos. O duelo entre Feijão e Klizan vai acontecer na tarde desta quinta-feira, no Ginásio do Ibirapuera, pela segunda rodada da competição.

(Com Gazeta Press)