Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil garante duas vagas olímpicas no Mundial de Vela

Por AE

Perth – A vela brasileira garantiu as duas primeiras vagas na Olimpíada de Londres, nas classes Laser Radial e RS:X feminina, durante a disputa do Mundial de Perth, na Austrália. Adriana Kostiw e Patrícia Freitas foram as responsáveis pela classificação, ao avançarem para a fase final da competição, mas ainda não estão confirmadas nos Jogos de 2012 – a vaga olímpica pertence ao Brasil, que só definirá seus representantes no ano que vem.

Na Laser Radial, Adriana Kostiw terminou a primeira fase do Mundial em 45º lugar, após a realização de cinco das 10 regatas previstas, e avançou para a disputa de medalha na flotilha de ouro entre as 51 melhores das 102 participantes. Como é apenas uma vaga olímpica por país e existem velejadoras de 26 países entre as 51 classificadas, a brasileira já assegurou uma das 29 vagas para os Jogos de Londres que estão disponíveis nessa classe.

“Para mim foi uma surpresa vir a classificação assim tão rápido. Eu achei que teria de lutar até o final e estou muito feliz e aliviada. Mas o campeonato não acabou e, embora eu tenha conquistado meu objetivo principal que era classificar o País e ser a melhor brasileira para sair na frente na seletiva individual, ainda tenho, no mínimo, mais cinco regatas para velejar e muito para evoluir aqui em Perth”, comemorou Adriana Kostiw.

Na RS:X, Patrícia Freitas viveu situação idêntica. Após cinco das 10 regatas do campeonato, ela ficou em 22º lugar e entrou no grupo das 34 finalistas da flotilha de ouro. Nessa classe, são 20 vagas olímpicas em disputa no Mundial e, pelo critério de apenas uma por país, a brasileira também já assegurou a classificação para a Olimpíada. Agora, porém, ela precisa lutar para ser escolhida a representante do Brasil em Londres.

Pelos critérios da Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM), os velejadores que tiverem o melhor resultado em suas classes no Mundial de Perth ganham um ponto na seletiva nacional pela vaga olímpica – é o caso, portanto, de Adriana Kostiw e Patrícia Freitas. Depois, haverá um torneio pré-olímpico em Búzios, no começo do ano que vem, valendo outro ponto. E, se for necessário, acontecerá um desempate no Troféu Princesa Sofia, na Espanha.

Após atingir o objetivo na Laser Radial e na RS:X feminina, o Brasil busca agora a classificação olímpica nas outras classes que estão em disputa no Mundial de Perth. Uma delas é a Star, que terá a primeira regata da competição na Austrália apenas no domingo e conta com os brasileiros Robert Scheidt e Bruno Prada como favoritos à medalha de ouro.