Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil faz jogo duro, mas perde para França no handebol

Apesar do jogo equilibrado, a seleção brasileira de handebol masculino acabou eliminada pela bicampeã olímpica da modalidade

A seleção brasileira masculina de handebol fez um jogo duro contra a França, atual campeã mundial e bicampeã olímpica, mas acabou derrotada por 34 a 27, nas quartas de final da Rio-2016 e está fora da briga por medalhas.

Diante dos principais favoritos do torneio olímpico, os brasileiros fizeram uma partida equilibrada durante os primeiros 50 minutos. Saíram atrás do placar, tiraram a desvantagem e chegaram a sonhar com a vitória, mas sentiram a força do adversário nos minutos finais, apesar do apoio da torcida na Arena do Futuro.

Leia também:
Isaquias Queiroz avança para outra final da canoagem
Justiça proíbe Lochte de sair do país. Problema: ele já foi

Graças a atuações inspiradas do armador esquerdo Thiagus Petrus e do goleiro Maik, o time brasileiro chegou a empatar o jogo antes do intervalo (16 a 16) e manteve o equilíbrio no segundo tempo. Assim que os franceses marcavam, os brasileiros empatavam logo na sequência. O mesmo ocorria se os donos da casa passassem na frente.

Passados 13 minutos do segundo tempo, o Brasil começou a enfrentar dificuldades. Com Thiagus no banco, os franceses conseguiram voltar a liderar o placar por três gols (25 a 22) e, sem conseguir manter um ritmo ofensivo intenso, o time permitiu que a França ampliasse a vantagem para cinco gols faltando dez minutos para o fim da partida (28 a 23). E, sentindo o baque da eliminação, não conseguiu reagir, dando adeus ao torneio olímpico.

Mesmo com a derrota, a seleção masculina do Brasil fez história no Rio de Janeiro, já que nunca antes uma equipe do país tinha se classificado à fase decisiva de um torneio olímpico.

Já as meninas brasileiras deram adeus à disputa por medalhas ontem, após perderem, também nas quartas de final, para a Holanda, por 32 a 23, igualando o resultado obtido há quatro anos nos Jogos de Londres.

(Com agência EFE)