Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil faz balanço positivo do Mundial de Vela

Por AE

Perth – O Campeonato Mundial de Vela chegou ao fim neste domingo em Perth, na Austrália, com o Brasil lamentando a queda no quadro de medalhas em relação ao Mundial anterior, de 2007, em Cascais, mas comemorando ter tido sucesso em seu principal objetivo na competição: classificar-se no maior número possível de classes para os Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem. A vaga veio em sete das dez classes olímpicas.

A competição organizada pela Federação Internacional de Vela (Isaf, na sigla em inglês) a cada quatro anos, sempre na véspera de Olimpíadas, distribuiu 75% das vagas para Londres. As demais estarão em jogo nos mundiais de cada classe, todos no primeiro semestre de 2012. Em Cascais, há quatro anos, o Brasil conseguiu classificar cinco barcos para Pequim. Depois, conseguiu suas três últimas vagas por meio dos mundiais das classes. Na ocasião, porém, eram 11 as classes olímpicas, contra 10 atuais.

Com relação ao quatro de medalhas, o desempenho do Brasil em Perth foi pior do que o obtido em Cascais. Em Portugal haviam sido dois ouros: na Star, com Robert Scheidt e Bruno Prada, e na RS:X, com Bimba, o que colocou o País em terceiro na classificação geral. Esteano, o bicampeonato na Star, solitário, deixou o Brasil em sétimo. A Austrália, dona da casa, com três ouros, ficou em primeiro.

Além da Star, o Brasil só ficou entre os dez primeiros em uma outra classe: a 470 Feminino, cuja Medal Race foi neste domingo. As cariocas Martine Grael e Isabel Swan ficaram em sexto na regata que reúne os 10 melhores barcos e terminaram o Mundial no oitavo lugar. “Estar entre as top10 do mundo é muito bom. Hoje, no 470, os 12 primeiros times estão muito parecidos e a briga para a Olimpíada do ano que vem vai ser boa”, avaliou Swan, medalhista de bronze em Pequim, quando competia com Fernanda Oliveira.

Apesar de algumas frustrações, como de Bimba (11.º na RS:X Masculino) e Bruno Fontes (15.º na Laser), a Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM) classifica como positivo o desempenho da equipe em Perth.

“O balanço geral é positivo. Viemos aqui para classificar o Brasil no maior número de classes para os Jogos do ano que vem e conseguimos colocar sete das dez classes olímpicas em Londres”, avaliou Cláudio Bieckark, diretor técnico da equipe. “Claro que meu papel é querer sempre mais e algumas frustrações aqui e ali sempre acontecem. Mas saímos de Perth com a sensação do dever cumprido e com a alegria do bicampeonato do Robert (Scheidt) e do Bruno (Prada).”

O Brasil conseguiu a classificação olímpica nas classes Finn (Jorge Zarif), RS:X Feminina(Patrícia Freitas), RS:X Masculino (Ricardo Winicki, o Bimba), Laser Standard (Adriana Kostiw), Laser (Bruno Fontes), Star (Robert Scheidt e Bruno Prada) e 470 Feminino (Martine Grael e Isabel Swan). As vagas são do País. Os atletas que as conquistaram ganharam um ponto na corrida por Londres. Um segundo estará em jogo entre 2 e 12 de fevereiro, para os campeões da Semana Brasileira de Vela, em Búzios (RJ). Caso haja a necessidade de desempate, este acontecerá no Troféu Princesa Sofia, na Espanha, em maio.

Ficaram faltando as vagas na 470 Masculino, na Match Racing e na 49er. O Mundial da 470 será em maio, em Barcelona, e distribuirá sete vagas. O da Match Racing é em fevereiro, em Brisbane (EUA), com mais três vagas em jogo. Já a 49er compete em maio, em Zadar, na Croácia, quando serão conhecidos mais cinco classificados para Londres.

Confira a colocação dos representantes brasileiros em Perth::

Star

Robert Scheidt/Bruno Prada – campeões

470 Feminino

Martine Grael/Isabel Swan – 8.º

Fernanda Oliveira/Ana Luiza Barbachan – 26.º

RS:X Masculino

Ricardo Winicki – 11.º

Vicente Carvalho – 74.º

RS:X Feminino

Patrícia Freitas – 29.º

Carmem Rosas – 58.º

Bruna Martinelli – 60.º

Laser

Bruno Fontes – 15.º

Eduardo Couto – 86.º

Alex Veeren – 131.º

Laser Radial

Adriana Kostiw – 41.º

Odile Ginaid – 82.º

Patrícia Gatti – 101.º

Finn

Jorge Zarif – 32.º

Match Race Feminino

Renata Decnop/Gabriela Nicolino/Larissa Juk – 17.º

Juliana Senfft/Fernanda Decnop/Luciana Barros – 20.º

49er

André Fonseca/Marco Grael – 51.º

470 Masculino

Carlos Henrique Wanderley/Marco Brancher – 54.º

Fábio Pillar/Gustavo Thiesen – 63.º

Henrique Haddad/Nicolas Castro – 66.º