‘Brasil dará prioridade absoluta à Olimpíada’, afirma COI

Por Da Redação - 12 jul 2014, 14h32

Os Jogos Olímpicos do Rio-2016 serão uma “prioridade absoluta” para o governo brasileiro a partir de segunda-feira, ao fim da Copa do Mundo, afirmou o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, após encontro com a presidente Dilma Rousseff. “Fiquei satisfeito ao ouvir que os Jogos e seu legado serão uma prioridade absoluta. Tanto ela e seu governo como o COI compartilham as mesmas prioridades.” O COI contribuirá com 1,5 bilhão de dólares aos Jogos, “o que deixará um enorme legado esportivo, econômico e social”, segundo comunicado do comitê.

Leia também:

Presidente do COI vê avanço na preparação da Rio 2016

Interventor do COI mostra otimismo com obras do Rio

Publicidade

Rio inicia obras ‘simples’ em Deodoro por R$ 643 milhões

A organização da Copa do Mundo é considerada um grande sucesso e o maior incentivo dos Jogos. “O Brasil pode ficar muito orgulhoso desta Copa”, disse Bach. O sucesso do Mundial ajudará a acalmar as inquietações sobre a organização dos Jogos Olímpicos, afirmou na sexta-feira o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.

Leia também:

Paes afirma que ‘perde o sono’ com obras em Deodoro

Publicidade

COI nega que pensa mudar sede dos Jogos do Rio

MP recomenda suspender obras do campo de golfe no Rio

No fim de abril, o vice-presidente do COI, John Coates, afirmou que a entidade havia sido obrigada a adotar medidas sem precedentes e enviar ao Rio um grupo de especialistas para acelerar os preparativos para a Olimpíada. Coates chegou a afirmar que a organização dos Jogos Rio-2016 era a “pior” que havia visto em 40 anos, mas depois aliviou as críticas.

(Com Agência France-Presse)

Publicidade