Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Brasil confirma boa fase e vence Portugal nos EUA

Em partida amistosa - sem Cristiano Ronaldo -, Neymar comanda o triunfo brasileiro por 3 a 1 sobre os portugueses

Por Da Redação 10 set 2013, 23h59

O amistoso entre Brasil e Portugal deveria antecipar o duelo entre Neymar, do Barcelona, e Cristiano Ronaldo, do Real Madrid. Mas quem foi ao Gillette Stadium, em Foxboro, nos Estados Unidos, só pode assistir ao show de Neymar, que deu o passe para o gol de empate de Thiago Silva e fez o golaço de desempate ainda no primeiro tempo. No começo do segundo tempo, conseguiu enfiar uma bola milimétrica para Maxwell cruzar e Jô escorar para fechar o placar em 3 a 1.

Mas os primeiros 20 minutos de partida indicavam que a noite na cidade próxima a Boston seria mais vermelha do que amarela. Aos 11, em boa jogada do lateral João Pereira pela direita, o meia Raul Meirelles cabeceou um foguete no pé da trave esquerda de Júlio César. Seis minutos mais tarde, o mesmo Raul Meirelles aproveitou uma bobeada de Maicon, que recou fraco e com displicência, para fazer 1 a 0. Até ali, os portugueses mostravam que não seriam uma repetição dos fracos australianos, que perderam no final de semana, em Brasília, por 6 a 0.

A cor do jogo mudou aos 21. Neymar e Thiago Silva, que, junto com David Luiz, tiveram uma indisposição estomacal no vestiário, comandaram a virada. Primeiro foi Neymar que recebeu de Paulinho e chutou forte, para boa defesa do goleiro Rui Patrício – Bernard não conseguiu pegar o rebote. Dois minutos depois, Neymar cobrou escanteio na cabeça de Thiago Silva. Para usar um jargão do futebol, ele foi no segundo andar para empatar a partida. Na comemoração, Thiago disparou para abraçar Maicon, que havia presenteado os portugueses com um gol.

Depois do gol de empate, o jogo ficou arisco e em nada lembrava uma partida amistosa. Neymar recebeu uma cotovelada do zagueiro Bruno Alves, que foi mais maldoso do que aguerrido.

Continua após a publicidade

Aos 32 depois, Nani de cabeça quase colocou os portugueses na frente novamente. A bola triscou a trave direita de Júlio César. Dois minutos depois, Neymar fez fila na defesa portuguesa e, com o pé direito, fez um golaço!

No começo do segundo tempo, Neymar – com uma régua – lançou para o lateral Maxwell cruzar e Jô escorar para fazer 3 a 1. Depois de garantir o goleiro Júlio César na Copa de 2014, Felipão deveria emitir o segundo passaporte para Jô, que parece predestinado a vestir a camisa amarela.

Com o terceiro gol, Portugal tratou de se precaver para evitar uma goleada e os jogadores brasileiros parecem ter concordado em tirar o pé. As substituições mexeram pouco com o ritmo de jogo, que foi sonolento.

Para premiar o artista da noite, Felipão colocou Lucas no lugar de Neymar aos 43. Aplausos, muitos aplausos para Neymar, que resumiu assim a partida: “Era um grande espetáculo entre Brasil e Portugal. Qual jogador não tem vontade de jogar? Mas mostramos um grande futebol e vencemos”. Há um ano, ele era chamado de pipoqueiro. Agora, é ovacionado. E daqui a um ano? Esperamos que a segunda opção prevaleça.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Continua após a publicidade

Publicidade