Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil bate Itália no tie-break em estreia no Grand Prix

Por AE

Lodz, Polônia – A seleção brasileira feminina de vôlei estreou com vitória no Grand Prix, nesta sexta-feira, ao bater a Itália por 3 sets a 2, com parciais de 18/25, 25/22, 25/21, 20/25 e 15/6, em Lodz, na Polônia, em jogo válido pelo Grupo D da competição.

O duelo entre brasileiras e italianas abriu esta chave do torneio, que nesta sexta ainda terá o confronto entre Polônia e Sérvia, também em Lodz. Neste sábado, o Brasil voltará a quadra para encarar as sérvias, às 7h30 (horário de Brasília), antes de fechar essa primeira etapa do Grand Prix diante das polonesas, no domingo, a partir das 15 horas.

Nesta primeira fase da competição, que deu início à vigésima edição de sua história, o técnico José Roberto Guimarães poupou algumas das principais jogadoras da seleção, que ficaram no Brasil treinando para a Olimpíada.

E o grande destaque da vitória brasileira nesta sexta foi a ponteira Fernanda Garay, com 20 pontos, sendo 17 em ataques e três em bloqueios, enquanto Paula Pequeno fez 16.

O JOGO – O duelo realizado em Lodz começou com a Itália melhor. Forte no bloqueio, a seleção europeia abriu três pontos de vantagem e fez 12 a 9. Mas, após um tempo pedido por Zé Roberto, o Brasil reagiu rápido e empatou em 12 a 12. As italianas, porém, seguiam com bom volume de jogo e rapidamente voltaram a conseguir boa vantagem. E, após irem para a segunda parada técnica vencendo por 16 a 13, liquidaram o primeiro set em 25 a 18.

Já na segunda parcial, o Brasil voltou a mostrar força e, após Zé Roberto promover a entrada de Tandara no lugar de Mari, que fez só três pontos no jogo, o Brasil deslanchou para abrir 18 a 13. A Itália ainda esboçou uma reação no final do set, mas as brasileiras venceram por 25 a 22.

Após o empate no duelo, Zé Roberto optou pela permanência de Tandara no lugar de Mari no terceiro set, mas o Brasil voltou a sofrer ao ir para a primeira parada técnica em desvantagem de 8 a 5. Insatisfeito novamente com a nova queda de rendimento da equipe, o treinador sacou a central Juciely e colocou Natasha, mas as italianas seguiram dominando e ampliaram o placar para 13 a 7.

Vendo que os ataques brasileiros estavam se tornando previsíveis, o comandante resolveu trocar de levantadora, sacando Dani Lins e colocando Fernandinha. E a estratégia se mostrou eficaz, já que o Brasil se reencontrou e, justamente após uma boa sequencia de saques de Fernandinha, virou o placar para 19 a 18. E, mais confiantes, as brasileiras liquidaram o set em 25 a 21.

Já no quarto set, o time nacional exibiu instabilidade novamente e viu as italianas abrirem 17 a 11. As brasileiras ainda tentaram reagir no final da parcial e chegaram a estar perdendo por 20 a 17, mas as adversárias administraram a vantagem e empataram o confronto ao fecharem em 25 a 20.

No tie-break, entretanto, o equilíbrio que marcou quase todo o duelo deu lugar à superioridade do Brasil. Eficientes nos contra-ataques, as brasileiras fizeram 7 a 4 e passaram a colocar mais pressão na Itália, que sofria para passar pelo bloqueio e sucumbiu rapidamente ao cair por 15 a 6.