Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brandão decide e faz Grêmio pensar na Libertadores

Vida de centroavante nem sempre é fácil. Borges marcou seus gols com a camisa do Grêmio, se desentendeu com a direção e deixou ódio no coração dos gremistas, externado sem constrangimento nas arquibancadas do Olímpico. Brandão deixa os gremistas irritados pelos gols que não faz, mas em uma noite tudo pode mudar. Nesta quarta-feira, o Tricolor parou Borges e Brandão marcou o seu na vitória por 1 a 0 sobre o Santos, transformando as vaias do treino de terça-feira em aplausos e comemoração nesta noite.

Em partida recuperada da 11rodada do Campeonato Brasileiro, o time gremista entrou em campo como se o seu fôlego ainda estivesse no começo da competição. Impetuoso, não foi preciso insistir muito para ir às redes e decidir o jogo. Aos 9 minutos, após passe de Marquinhos, Brandão fez a única modificação no placar.

Poderiam ter ocorrido outras, mas Rafael e Victor, os goleiros da noite, tiveram boa atuação. Já Douglas, o próprio Brandão, Escudero e Marquinhos não conseguiram criar um placar mais elástico para os gaúchos. Ibson e Allan Kardec não tiraram o Peixe do zero em suas chances.

A vitória traz o Grêmio de volta para a metade de cima da tabela, região pouco habitada no decorrer da competição. Em nono lugar, o Tricolor, com 39 pontos, fica a cinco de uma vaga à Libertadores. O Santos está estagnado em 13 .

No sábado, o Grêmio enfrenta o Coritiba, enfrentando mais um vizinho de classificação. No dia seguinte, o Santos tem clássico diante do Palmeiras, em casa.

O jogo – O centro das atenções no gramado do Olímpico era Borges. Ex-jogador do Grêmio, o santista ouviu muitas vaias e xingamentos. Na terça-feira quem precisou escutar a insatisfação da torcida foi Brandão. Os apupos do treino mexeram com o centroavante gremista.

Ele mudou o foco nos primeiro minutos da partida, aproveitando-se de um Tricolor que entrava na área adversária como se fosse um furacão, transformou as reclamações em comemoração e grito de gol. Em poucos segundos de jogo, os gaúchos se impuseram, encurralando o time do Santos. A primeira oportunidade de Brandão parou no goleiro Rafael. A segunda, após lançamento de Fábio Rochemback, foi desperdiçada na tentativa frustrada de driblar o camisa 1.Na terceira oportunidade que teve, Brandão conseguiu colocar a bola na rede. Douglas viu Rafael salvar. No rebote, Marquinhos levantou na cabeça do centroavante e todos saíram para comemorar, aos 9 minutos.

Escudero, Marquinhos e Douglas tiveram chances para ampliar, mas não converteram. Mesmo que a força gremista tenha arrefecido, o time de Celso Roth ainda tinha o domínio das ações. A noite teve direito a lance de efeito, com Mário Fernandes aplicando lençol em Léo dentro da área e Escudero colocando a bola entre as pernas de Adriano.

Aos poucos, o Alvinegro Praiano achou brechas para levar perigo. Ibson teve dois arremates perigosos. Ambos passaram perto da trave. Allan Kardec teve oportunidade, mas Victor, com as pernas, impediu o empate. Fechando a quadra, Borges perdeu chance clara em chute mascado para fora.

O vigor gremista se manteve no segundo tempo. O gol para a dar tranquilidade no placar insistiu em não aparecer.Escudero tentou de direita. Douglas cobrando falta. Fernando de fora da área. Nenhum deles fez o Olímpico explodir.

Com o passar do tempo, os avanços do Santos começaram a ficar cada vez menos perigosos e mais na base da vontade. Elano, aos 25 minutos, saiu com lesão muscular. Sem conseguir ampliar, o Grêmio passou a controlar o jogo através do toque de bola.