Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bota se reabilita contra Cruzeiro e segue firme na luta pela taça

O torcedor botafoguense que compareceu neste sábado, no Engenhão, teve a oportunidade de acompanhar a recuperação do Botafogo, que vinha de duas derrotas seguidas no Brasileiro e se reabilitou vencendo o Cruzeiro por 1 a 0. Com o resultado, o time carioca segue firme no G4 e na luta para conquistar o título da competição nacional com 55 pontos.

Coube ao uruguaio Loco Abreu resolver a parada em favor do Botafogo. O avante aproveitou cruzamento na medida de Elkeson e testou com violência para as redes do goleiro Fábio, levando os torcedores à loucura no Engenhão. A vitória acaba com qualquer possibilidade de crise dentro do elenco carioca, que vinha de eliminação na Sul-americana e derrotas no Brasileiro.

Na sequência do Campeonato Brasileiro o Botafogo vai receber o Figueirense no Engenhão, no segundo dos três jogos seguidos que a equipe terá em casa. Já o Cruzeiro terá pela frente o duelo contra o Flamengo, mais uma vez no Engenhão.

O jogo – O Botafogo começou a partida a todo o vapor, e logo na saída de bola, teve uma chance de abrir o placar com Herrera, mas a zaga cruzeirense conseguiu o desvio para escanteio. Com maior volume de jogo, os donos da casa pressionaram a Raposa, principalmente explorando o lado direito do campo.

Após os protocolares 15 minutos de pressão do time mandante, o Botafogo diminuiu o ritmo, mas continuou com mais posse de bola que o Cruzeiro, que reforçou a marcação do lado direito do ataque carioca. Aos 16, o argentino Montillo, arriscou um arremate de fora da área, mas o tiro passou sobre a meta do goleiro Jéfferson.

Aos 20, Renato encontrou espaço na defesa celeste, porém, a finalização não foi boa, com o time carioca desperdiçando mais uma chance de inaugurar o marcador. Atento na saída de bola do Cruzeiro, os atacantes botafoguenses conseguiram aproveitar várias bobeadas da zaga mineira, que demonstrou certa desatenção durante a partida.

Se pelo chão os defensores cruzeirense titubearam algumas vezes, na bola área, todas as tentativas do time da estrela solitária foram interceptadas no primeiro tempo. Aos 30, Jéfferson trabalhou bem para evitar que o argentino Farías recebesse assistência em condições de marcar. A resposta veio no minuto seguinte com Herrera, que livre dentro da pequena área, perdeu um gol feito.

No final do primeiro tempo, o técnico Caio Júnior foi obrigado a queimar a primeira alteração, isso porque, Lucas Zen, sentiu uma lesão e teve quer ser substituído por Léo. A mudança mudou pouco o panorama da partida, que continuou com o Botafogo melhor. Aos 42, Herrera recebeu um passe com açúcar de Elkeson e perdeu um gol incrível.

Insatisfeito com a quantidade de gols desperdiçados pelo atacante Herrera, o treinador botafoguense acabou deixando o jogador no vestiário e voltou com Caio para a etapa complementar. O segundo tempo mostrou um equilíbrio maior das ações, com os visitantes tocando a bola com qualidade no meio-campo, principalmente com Montillo e Roger.

Aos nove minutos, coube ao uruguaio Loco Abreu resolver a parada em favor do Botafogo. O avante aproveitou cruzamento na medida de Elkeson e testou com violência para as redes do goleiro Fábio, levando os torcedores à loucura no Engenhão.

O gol garantiu mais movimentação em campo dos dois times. Aos 13, Montillo rolou para Anselmo Ramon, que finalizou fraco para a defesa do arqueiro Jéfferson. Com o intuito de aumentar a ofensividade do time celeste, Vágner Mancini sacou o volante Charles e colocou o atacante Élber. Com a mudança, o Cruzeiro passou a ter as rédeas do jogo, pressionando o Botafogo, que se dedicou aos contra-ataques.

Aos 34, Élber tentou um chute cruzado de longa distância, mas bem colocado o goleiro Jéfferson fez a defesa sem dificuldades. O lance exemplifica que a Raposa teve mais volume de jogo nos 45 minutos finais, porém, teve dificuldades para concluir as jogadas dentro da área do Botafogo, fator que colaborou para o revés.