Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Borges reclama da arbitragem e minimiza lesão

Artilheiro do Campeonato Brasileiro, o atacante Borges deixou a sua marca e balançou as redes do Cruzeiro na vitória do Santos por 1 a 0, neste sábado, na Vila Belmiro. Com esse tento, o centroavante alcançou a marca de 16 gols no Brasileirão. Mas o camisa 9 do Peixe não poupou críticas a arbitragem pelo gol anulado, aos 21 minutos do primeiro tempo, sob alegação de impedimento.

‘Era para ter sido 17 né? Mas isso o juiz que tem que explicar. Perguntei para ele por que ele anulou e ele respondeu que não tinha o que fazer porque o bandeirinha tinha levantado a bandeira. Aliás, foram dois gols legítimos’, disse Borges, relembrando que antes do seu gol, Edu Dracena também teve um gol mal anulado pela arbitragem.

O atacante santista continuou questionando o desempenho de Francisco Carlos Nascimento, árbitro aspirante a Fifa de Alagoas. Segundo Borges, o pênalti marcado a favor da Raposa, de Anderson Carvalho em Montillo, foi equivocadamente assinalado.

‘Eu acho que o pênalti também não foi’, argumentou o centroavante alvinegro. ‘Mas conseguimos superar isso. O grupo todo está de parabéns, já que demonstramos a nossa força hoje (sábado). O elenco está muito fechado, unido, em busca de fazer o melhor pelo Santos’, comentou.

O goleador, que deixou o duelo com o Cruzeiro reclamando de dores na coxa esquerda, aos 19 minutos do segundo tempo, ainda tratou de tranquilizar a torcida do Santos e garantir que a sua lesão não é grave.

Para Borges, o torcedor santista pode ficar despreocupado que ele deverá estar em condições de jogo diante do Corinthians, no dia 18, no Pacaembu. ‘Na minha maneira de ver não terei problemas. Eu não tive uma fisgada, foi só um incômodo na coxa mesmo. Eu venho de uma sequência de 19 jogos direto. Então, às vezes você sente o desgaste e é melhor sair para entrar um companheiro em melhores condições. Assim, você não prejudicar o time no jogo e nem fica um mês parado no departamento médico’, finalizou.