Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bola de Prata: em noite de recorde, Rogério entra na briga

Recordista também na premiação de PLACAR, veterano do São Paulo chega à quarta colocação entre os goleiros. No ataque, Fred ameaça Diego Tardelli

A 31ª rodada do Brasileirão jamais será esquecida pelo goleiro Rogério Ceni. Na vitória sobre o Goiás, no Morumbi, o capitão tricolor chegou a 590 triunfos com a camisa do São Paulo e bateu o recorde mundial de partidas vencidas por um mesmo clube, marca que pertencia ao galês Ryan Giggs, ídolo do Manchester United. O feito histórico veio acompanhado de uma boa atuação, que lhe rendeu uma vaga entre os cinco melhores goleiros da Bola de Prata, o mais tradicional prêmio do futebol brasileiro, oferecido desde 1970 pela revista PLACAR, da Editora Abril, que também publica VEJA. O goleiro de 40 anos é o maior vencedor da história da premiação, com seis Bolas de Prata, e depois de receber uma nota 6 por sua atuação contra o Goiás, entrou na briga com Marcelo Grohe, Jefferson, Paulo Victor e Renan. O atacante Fred, autor do gol da vitória do Fluminense sobre o Atlético-PR no sábado, também ganhou pontos preciosos nesta rodada. O titular do Brasil na última Copa recebeu nota 7 e pulou para a segunda colocação entre os atacantes. O líder da Bola de Ouro, prêmio dado ao melhor jogador do Brasileirão entre todas as posições, segue sendo o são-paulino Kaká, que agora tem Diego Tardelli, do Atlético-MG, na cola.

O regulamento do prêmio

Jornalistas da revista PlACAR e do canal pago ESPN assistem a todas as partidas do Brasileirão e atribuem notas de 0 a 10 aos jogadores. Para receber a Bola de Prata, os atletas devem ter sido avaliados em pelo menos 16 partidas. Os jogadores que deixarem seu clube antes do fim do campeonato também estarão fora da disputa. Em caso de empate na nota, leva o prêmio o jogador que tiver atuado em mais partidas. Ganhará a Bola de Ouro aquele que obtiver a melhor média dentre todas as posições.

(Com Estadão Conteúdo e agência Gazeta Press)