Clique e assine com 88% de desconto

Blatter recua e diz que Alemanha não comprou a Copa de 2006

Presidente da Fifa disse que afirmação anterior foi mal interpretada

Por Da Redação - 17 jul 2012, 10h33

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, viu-se em maus lençóis nesta semana ao insinuar que a Alemanha comprou a Copa de 2006, competição da qual foi a anfitriã. Com a repercussão do caso, o mandatário corrigiu sua afirmação e disse não haver evidências de um esquema na escolha da sede naquele Mundial. Em carta divulgada no jornal Bild, da Alemanha, Blatter se explicou: “Quis dizer que você sempre consegue encontrar algo nebuloso para duvidar da legitimidade da decisão, mesmo na Alemanha, que fez uma competição perfeita”. A suspeita levantada pelo suíço se deu pela saída de um dos membros da Fifa na reta final da votação para sede de 2006, vencida pelos alemães, com um voto a mais que os sul-africanos.

Leia também:

Leia também: Corrupção na Fifa

Questionado se considerava o fato um exemplo de corrupção, Blatter disse que não supunha nada. “Se não há uma prova clara de que algo ilícito aconteceu nos votos para sede da Copa do Mundo, é preciso aderir à legalidade da votação. Isso se aplica à Alemanha, assim como em qualquer outra atração.”

Publicidade

A declaração feita anteriormente por Blatter provocou incômodo nos alemães. Franz Beckenbauer, ex-jogador e organizador do Mundial em 2006, considerou incompreensíveis as suspeitas do mandatário da Fifa. Reinhard Rauball, presidente da Liga Alemã, foi mais agressivo e pediu a renúncia do dirigente de 76 anos.

(Com agência GazetaPress)

Publicidade