Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Bernardinho entende defeitos em treino do Brasil antes da estreia

Por Da Redação 19 nov 2011, 11h23

A exigência é a marca do técnico Bernardinho no comando da vitoriosa Seleção Brasileira masculina de vôlei. Neste sábado, o comandante observou defeitos na última atividade antes da estreia da Copa do Mundo contra o Egito, mas procurou entender a reação do grupo.

O Brasil entra em quadra neste domingo, a partir das 7h20 (de Brasília). Um dia antes, a ordem foi realizar um trabalho de reconhecimento do Kagoshima Arena, o ginásio de jogo da estreia.

‘Eu diria que o único treinamento no ginásio de jogo não foi o melhor que fizemos’, definiu Bernardinho, que justificou a sua análise em seguida. ‘É uma reação natural. É véspera de estreia e o time veio conhecer o ginásio, então é preciso se ambientar à luz e às referências’, emendou.

Independentemente da análise de Bernardinho em relação ao último treino, o grupo brasileiro demonstra confiança em brigar por mais um título. ‘O mais importante é a motivação que precisamos ter para enfrentar um campeonato como esse. E a minha está muito grande’, definiu o experiente Gustavo, que esteve no grupo campeão pan-americano de 2011.

Como ocorreu no torneio feminino, a Copa do Mundo masculina reserva três vagas para os Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, e será disputada no sistema de pontos corridos. Ao Brasil, o jogo contra o Egito é visto com obrigação de vitória.

‘Teremos uma estreia que não é das mais difíceis. Temos todo respeito à seleção do Egito, mas, certamente, não é um candidato para a classificação olímpica. Porém, logo em seguida, enfrentaremos Estados Unidos, Itália e Rússia, que são três adversários com os quais nós brigamos diretamente por uma vaga olímpica’, comparou Bernardinho.

Continua após a publicidade

Publicidade