Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bayern vence Real nos pênaltis e avança para a final

Por AE

Madri – O Bayern de Munique está na final da Liga dos Campeões da Europa. Depois de uma verdadeira batalha diante do Real Madrid, que precisou de prorrogação e pênaltis para ser decidida, o time alemão garantiu a classificação nesta quarta-feira, em pleno Santiago Bernabéu, ao vencer a disputa de pênaltis por 3 a 1.

Após 90 minutos regulamentares, o Bayern saiu derrotado por 2 a 1, mesmo resultado de sua vitória na partida de ida. Na prorrogação, o placar seguiu inalterado, mas, nos pênaltis, o time do técnico Jupp Heynckes contou com a estrela do goleiro Manuel Neuer, que defendeu duas cobranças, para vencer.

Desta forma, o Bayern disputará a decisão diante de sua torcida, no Allianz Arena, no dia 19 de maio, em Munique. O adversário será o Chelsea, que na terça-feira havia eliminado o favorito Barcelona, na Espanha, ao empatar por 2 a 2. A final, aliás, contará com vários desfalques de ambas as partes. São três jogadores suspensos do time alemão – Alaba, Luiz Gustavo e Badstuber – contra quatro dos ingleses – Ivanovic, John Terry, Ramires e Raul Meireles.

O jogo desta quarta contou com uma primeira etapa muito movimentada, principalmente no início, quando o placar do tempo normal foi construído. O Real começou se aproveitando dos erros defensivos do adversário e abriu 2 a 0 antes dos 15 minutos. Pouco depois, o Bayern se recuperou, diminuiu para 2 a 1 e chegou a dominar parte da partida.

O segundo tempo perdeu em emoção, com as duas equipes tendo mais dificuldades para criar jogadas. Os madrilenhos, talvez cansados pela batalha diante do Barcelona no último sábado – quando venceram por 2 a 1 -, davam campo ao time de Munique, que comandava a partida, mas pouco levou perigo ao gol de Casillas.

Na prorrogação, os dois times preferiram não correr risco e, assim, o jogo foi para os pênaltis. Foi aí que Neuer brilhou. Ele defendeu as cobranças de Cristiano Ronaldo e Kaká para garantir a classificação alemã. Sergio Ramos ainda chutou sua cobrança por cima, enquanto Alaba, Mario Gómez e Schweinsteiger converteram para o Bayern, que saiu vencedor da disputa, por 3 a 1.

O JOGO – Precisando vencer para conseguir a vaga, o Real começou melhor, principalmente com jogadas pela direita, e chegou com perigo logo aos 2 minutos. Di María arrancou por este lado do campo, passou por Alaba e rolou para trás. Khedira chegou batendo, mas chutou em cima de Neuer.

Apenas dois minutos depois, o time da casa abriu o placar. Lançamento de Marcelo para Di María, que novamente aproveitou o espaço dado a ele e bateu de primeira. A bola tocou na mão de Alaba, que se jogou no carrinho, e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Cristiano Ronaldo bateu no canto esquerdo de Neuer, que pulou para o direito, e abriu o placar. Era o resultado que o Real precisava pra avançar.

Se estava mal na marcação, Alaba tentou compensar no ataque e, aos 7 minutos, fez grande jogada pela esquerda, passou por dois marcadores e cruzou no pé de Robben. Na linha da pequena área, o holandês pegou mal na bola e jogou por cima a primeira grande chance do Bayern.

Neste momento o time alemão precisava marcar para se classificar e, por isso, foi para cima. Aos 11 minutos, Mario Gómez bateu forte, Casillas espalmou para o meio da área, mas Ribery foi travado ao bater para o gol.

Quando parecia que o panorama da partida seria alterado, o Real aproveitou-se de um erro do adversário para ampliar. Aos 14 minutos, Ozil aproveitou uma sobra de bola na intermediária e, com um toque rápido, achou Cristiano Ronaldo sozinho. O português aproveitou e só deslocou Neuer.

Com o 2 a 0 adverso, o Bayern deixou de vez a defesa e passou a controlar a posse de bola. Sem desespero, a equipe alemã buscava espaços e, como não encontrava, arriscava em chutes de fora da área. Aos 20 minutos, Mario Gómez levou perigo desta forma.

A pressão alemã deu resultado aos 25 minutos. Tony Kroos recebeu pela direita e cruzou para a área. Pepe empurrou Mario Gomez e o juiz apitou novo pênalti. Na cobrança, Robben bateu no canto direito de Casillas, que ainda tocou na bola, mas não impediu o gol.

O gol diminuiu um pouco o ritmo da partida, já que nenhuma das equipes queria se arriscar excessivamente e ficar sem a classificação. Assim, Benzema, pelo Real, Mario Gómez e Robben, pelo Bayern de Munique, tiveram as últimas duas chances do primeiro tempo, que terminou mesmo em 2 a 1.

O segundo tempo começou diferente do primeiro e nos dez primeiros minutos Mario Gómez e Benzema, novamente, até tentaram, levaram perigo, mas não mudaram o placar. O Bayern insistia em jogadas pela direita, com Robben, enquanto o Real buscava Cristiano Ronaldo, que, bem marcado, pouco aparecia.

A queda de produção fez com que o técnico José Mourinho decidisse mexer na equipe, colocando o brasileiro Kaká no lugar de Di María, que parecia cansado após uma ótima atuação no início do jogo.

A substituição não mudou muita coisa e o Bayern continuou dominando a posse de bola. O time de Munique, no entanto, também tina problemas para criar jogadas e, desta forma, a partida foi se arrastando, truncada, até o final. Mario Gómez ainda perdeu uma grande chance, travado na hora do chute.

Com a repetição do resultado de 2 a 1, desta vez com vantagem para o Real, o jogo foi para a prorrogação. Mesmo com o cansaço, o time da casa conseguiu mudar o cenário da partida e começou com o controle da posse de bola. No segundo tempo da prorrogação, as duas equipes preferiram não arriscar. Kaká teve dois bons momentos com a bola no pé, mas demorou para decidir-se e não aproveitou as chances. Assim, a disputa foi para os pênaltis.

Maior destaque do time, Cristiano Ronaldo perdeu a primeira cobrança madrilenha. Neuer fez grande defesa. Kaká também desperdiçou sua penalidade, em nova grande defesa do goleiro alemão. Casillas pegou o pênalti de Tony Kroos e recolocou o Bayern na disputa. Na sequência, o espanhol voltou a defender uma cobrança, desta vez de Lahm, mas Sergio Ramos chutou por cima a chance de igualar o placar. Schweinsteiger acertou a última cobrança e colocou o time de Munique na decisão.