Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bayern bate Real Madrid nos pênaltis e garante lugar na decisão de Munique

Redação Central, 25 abr (EFE).- Nos pênaltis, o Bayern de Munique se garantiu na final da Liga dos Campeões, eliminando o Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu nesta quarta-feira, com os craques Cristiano Ronaldo e Kaká desperdiçando suas cobranças, ambas defendidas pelo goleiro Manuel Neuer.

Com a vitória, o time alemão decidirá a competição continental em seu estádio, o Allianz Arena, em Munique, sede escolhida antes do início do torneio. O adversário será o Chelsea, que na terça-feira eliminou o Barcelona, em uma partida marcada para 19 de maio.

No tempo normal, o Real venceu por 2 a 1, com Cristiano Ronaldo marcando duas vezes e Robben descontando. O placar, o mesmo do jogo de ida, levou a partida para a prorrogação. No tempo extra, as duas equipes não conseguiram marcar, e o jogo então foi decidido nas penalidades, em que o Bayern de Munique venceu por 3 a 1.

As duas equipes entraram com escalações ‘previsíveis’, indo ao encontro de que havia sido divulgado anteriormente. O Real veio com Marcelo como a principal novidade, no lugar do criticado Fabio Coentrão. Além disso, o argentino Dí Maria permaneceu entre os titulares.

Mourinho optou pelo 4-2-3-1, esquema que tem sido utilizado nas últimas partidas com sucesso; o alemão Jupp Heynckes também não inovou escolheu sua estratégia mais ofensiva, com a manutenção de Schweinsteiger no meio-campo, mantendo o quarteto Kroos, Ribéry, Robben e Gómez.

Com as duas equipes com estratégia ofensiva, o início do jogo foi eletrizante, com o Real Madrid buscando reverter a desvantagem da partida de Munique. Logo no primeiro minuto, Dí Maria obrigou o goleiro Neuer a fazer boa defesa.

Quatro minutos depois, Marcelo lançou o argentino que bateu de primeira para o gol. A bola acabou tocando no braço de Alaba, e o árbitro Viktor Kassai marcou pênalti. Cristiano Ronaldo cobrou e marcou seu nono gol na atual edição da Liga dos Campeões.

O placar aberto não intimidou o time alemão que foi em busca do empate. Por duas vezes, com Robben e Gómez, a equipe esteve perto do gol. Contudo, uma bobeada de Toni Kroos, que perdeu a bola na intermediária, complicou a vida do Bayern. Özil ganhou o lance e serviu Cristiano Ronaldo, que marcou seu segundo gol na partida.

O 2 a 0 não esfriou o jogo, pelo contrário. O Real pensava em matar o jogo, principalmente em jogadas de Marcelo, Dí Maria e Cristiano. Enquanto isso, o Bayern seguiu atuando de maneira franca, agora por obrigação, já que precisava marcar, pois o placar de momento eliminaria os alemães.

Aos 26, em bola lançada na área madrilenha, Pepe puxou Gómez pela camisa, cometendo pênalti. Robben foi para a cobrança e descontou. Sete minutos depois, o próprio holandês teve chance de igualar o placar, mas parou em Casillas. Depois do lance, as equipes se tornaram mais cautelosas e o jogo foi para o intervalo com o placar de 2 a 1.

As equipes voltaram com mais disposição após o intervalo. Porém, após uma chance para cada lado – de Gómez para o Bayern e Benzema para o Real -, os times procuraram esperar o erro do adversário, deixando o ritmo do jogo mais lento.

Fechado em campo, o Real só chegava em cobranças de falta de longa distância, com Cristiano Ronaldo. Já o Bayern tentava apostar na velocidade. Aos 19 minutos, para tentar mudar esse quadro para os donos da casa, José Mourinho lançou Kaká na partida, substituindo Dí Maria, mudança que foi pouco importante enquanto a bola rolou.

Nos minutos finais, enquanto os espanhóis pareciam se poupar para a prorrogação, os alemães mantinham a bola no ataque, criando jogadas nas costas de Marcelo. Aos 40, em bela trama do ataque bávaro, Gómez demorou a finalizar e acabou perdendo chance dentro da pequena área, a última no tempo normal da partida.

A prorrogação também começou com as equipes precavidas. Ainda nos primeiros minutos, Müller entrou no lugar de Ribéry. O panorama do tempo extra começou diferente, com o Real pressionando mais, contra um acuado Bayern. Ainda assim, com cansaço evidente, as equipes continuaram apostando na cautela. Mourinho, por sua vez, apostou em Higuaín no lugar e Benzema.

O segundo tempo da prorrogação seguiu de forma semelhante. Granero no lugar de Özil foi a última tentativa do técnico português para encontrar o gol. Faltando cinco minutos para o apito final, o espanhol protagonizou lance polêmico, quando caiu na área após disputa de bola com Neuer, reclamando de pênalti, não marcado pelo árbitro húngaro.

Nos pênaltis, o Bayern acabou levando a melhor, se garantindo na sua nona final, onde buscará o quinto título da competição. Alaba, Gómez e Schweinsteiger marcaram para os alemães, enquanto Xabi Alonso fez para o Real. O goleiro Neuer pegou as cobranças de Cristiano Ronaldo e Kaká, já Sergio Ramos isolou seu pênalti, batendo por cima do gol.

Ficha técnica:.

Real Madrid: Casillas; Arbeloa, Sergio Ramos, Pepe e Marcelo; Khedira, Xabi Alonso, Dí Maria (Kaká), Özil (Granero) e Cristiano Ronaldo; Benzema (Higuaín). Técnico: José Mourinho.

Bayern de Munique: Neuer; Lahm, Boateng, Badstuber e Alaba; Luiz Gustavo, Schweinsteiger, Robben, Kroos e Ribéry (Müller); Gomez. Técnico: Jupp Heynckes.

Arbitragem: Viktor Kassai (Hungria), auxiliado pelos compatriotas Gabor Erös e György Ring.

Cartões amarelos: Pepe e Arbeloa (Real) Alaba, Robben, Luiz Gustavo e Badstuber (Bayern).

Gols: Cristiano Ronaldo (2 vezes) (Real) e Robben (Bayern).

Nos pênaltis: Converteram: Xabi Alonso (Real); Alaba, Gómez e Schweinsteiger (Bayern). Erraram: Cristiano Ronaldo, Kaká e Sergio Ramos (Real); Kroos e Lahm (Bayern). EFE