Clique e assine a partir de 9,90/mês

Basquete: por que a retomada da NBA tem tudo para dar certo

Depois de quase cinco meses de paralisação por causa da pandemia, a liga americana retorna nesta quinta-feira com rodada dupla

Por Danilo Monteiro - Atualizado em 30 jul 2020, 15h46 - Publicado em 30 jul 2020, 15h42

A NBA retomará a temporada 2019/20 nesta quinta-feira 30, no complexo da Disney, em Orlando, na Flórida. O novo formato da liga terá apenas oito jogos da fase classificatória, para definir o restante das vagas para os playoffs, que serão disputados na sequência em séries de melhor de sete jogos, como tradicionalmente ocorre.

Os dois primeiros jogos da rodada, nesta quinta, terão transmissão no Brasil. A partir das 19h30 (de Brasília), Utah Jazz e New Orleans Pelicans se enfrentam com transmissão do SporTV. Em seguida, às 22h, o clássico de Los Angeles, entre os Lakers de LeBron James e os Clippers de Kawhi Leonard, será transmitido na TV aberta pela Band e na fechada pelo SporTV.

Foram quase cinco meses de paralisação por causa da pandemia de coronavírus, tempo necessário para a preparação de um protocolo sanitário rígido. O cuidado para garantir a segurança da retomada é um dos cinco motivos elencados por VEJA (confira na lista abaixo) que comprovam por que a volta da NBA tem tudo para dar certo.

1. O protocolo está funcionando

Continua após a publicidade

Desde a chegada das equipes, que estão hospedadas em três resorts da Disney, os atletas e funcionários tiveram de cumprir quarentena obrigatória de 48 horas, seguidas de testes de Covid. Nas primeiras rodadas de testagem, 25 jogadores e dez funcionários das equipes testaram positivo e voltaram para casa. A situação foi controlada e, desde então, nenhum dos 346 jogadores e 884 membros dos times testaram positivo na “bolha”.

2. Denúncias anônimas

A NBA implantou desde o início da “bolha” um sistema de denúncias anônimas para identificar atletas que estejam burlando as regras do protocolo. Até o momento, três jogadores foram punidos com dez dias de isolamento por quebrar as normas, incluindo o brasileiro Bruno Caboclo, ala do Houston Rockets. Com a chegada dos playoffs, a vigilância entre os próprios atletas deve ser maior, pois ninguém quer ter desfalques na fase decisiva.

3. Os jogadores estão descansados

Continua após a publicidade

A paralisação pode dar um bônus à competitividade dos playoffs, porque dessa vez todos estão descansados e poderão jogar em altíssimo nível, principalmente os grandes jogadores de times menos competitivos, que costumam ficar mais tempo em quadra e chegam à fase eliminatória esgotados depois dos 82 jogos da temporada regular.

4. Temporada em aberto

Diferentemente dos últimos anos, quando Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors eram certeza na final da NBA, a temporada 2019/20 está em aberto. Los Angeles Lakers, Los Angeles Clippers e Milwaukee Bucks chegarão ao mata-mata com chances iguais de título. Além disso, outras equipes talentosas, como Boston Celtics, Toronto Raptors e Denver Nuggets, podem surpreender.

5. Maior audiência

Continua após a publicidade

A abstinência de esportes na televisão e a grande quantidade de pessoas que cumprem isolamento social, certamente, darão uma audiência inigualável para a NBA na reta final da temporada. Outro fator importante é que o reinício terá apenas oito jogos da temporada regular (todos decisivos), em um cenário completamente diferente da longa jornada de 82 jogos para cada equipe, por vezes pouco atraente, na fase classificatória. Desta vez, todos os olhos estarão atentos para o desempenho dos times às vésperas dos playoffs, que costumam ampliar ainda mais a audiência da liga.

Publicidade