Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aviões da FAB com corpos das vítimas começam deixar Medellín

Aeronaves farão parada em Manaus para reabastecimento e devem chegar a Chapecó às 7h deste sábado; na sequência, haverá velório coletivo na Arena Condá

O embarque dos aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) que levarão os corpos das vítimas do acidente envolvendo a delegação da Chapecoense ao Brasil foi iniciado na noite desta sexta-feira em Rionegro, na Colômbia. O primeiro dos três aviões decolou às 19h20 (horário de Brasília), com 17 dos 50 corpos que chegarão ao Brasil na manhã de sábado.

Os aviões farão uma parada em Manaus para reabastecimento e devem começar a chegar a Chapecó às 8h deste sábado. Depois de uma cerimônia protocolar com chefes de Estado no aeroporto Serafin Enoos Bertaso – o presidente Michel Temer não deve ir à Arena Condá -, os corpos serão levados ao estádio da Chapecoense, onde haverá o velório coletivo.

Segundo a programação dos organizadores, são esperadas mais de 100.000 pessoas na cerimônia em Chapecó. Haverá espaço para 19.000 pessoas nas arquibancadas da Arena Condá, além de 2.000 lugares no gramado para familiares e autoridades. O restante do público deve permanecer na área externa, onde telões serão instalados.

Corpos das vítimas embarcam para o Brasil Militares brasileiros e colombianos conduzem os corpos das vítimas do acidente aéreo com o time da Chapecoense e jornalistas durante embarque no aeroporto de Medellín – 02/12/2016

Militares brasileiros e colombianos conduzem os corpos das vítimas do acidente aéreo com o time da Chapecoense e jornalistas durante embarque no aeroporto de Medellín – 02/12/2016 (Jaime Saldarriaga/Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. PARABÉNS POVO COLOMBIANO! VOCÊS FORAM EXCEPCIONAIS!

    Curtir

  2. Por que tamanha honraria a um time de futebol?

    Curtir

  3. Timinho de sei lá que divisão desse futebolzinho medíocre do Brasil freta um avião de um companhia aérea vagabunda da Bolívia, morrem na queda e se tornam heróis de uma guerra imaginária. A mesma guerra imaginária que gladiadores de torcidas se matam pelas ruas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, etc.

    Curtir